terça-feira, 8 de junho de 2010

A metrópole de Renato Russo


Vendo o caos que anda o trânsito em POA, o crescente número de mortos em acidentes e o grande percentual de matérias sobre assaltos, assassinatos,descaso das autoridades de saúde, políticos em nossa tv...
Lembrei dessa música da Legião Urbana do LP DOIS, um punk rock de trincar os ossos: (Saudades da época que dava para identificar as bandas só pelos acordes: Barão, Paralamas, Legião, Ultraje, Titãs..Hoje não são bandas, são um bando de emolóides que toca e canta igual!).
Um dia que uma dessas bandinhas fizer uma letra 50% disso, engulo minhas palavras!!
Posto aqui com as cifras...(Vou ver se ainda consigo acompanhar!)

METRÓPOLE - Renato Russo

Tom - A

Introdução - (Em F G Em F C B)

A D G C
"É sangue mesmo, não é mertiolate"
A D
E todos querem ver
G C
E comentar a novidade.
A D G C
"É tão emocionante um acidente de verdade"
A D
Estão todos satisfeitos
G C
Com o sucesso do desastre:
(Em F G Em F C B)
Vai passar na televisão
A D G C
"Por gentileza, aguarde um momento.
A D G C
Sem carteirinha não tem atendimento -
A D G C
Carteira de trabalho assinada, sim senhor.
A D G C
Olha o tumulto: façam fila por favor.
(Em F G Em F C B)
Todos com a documentação.
A D G C
Quem não tem senha não tem lugar marcado.
A D G C
Eu sinto muito mas já passa do horário.
A D G C
Entendo seu problema mas não posso resolver:
A D G C
É contra o regulamento, está bem aqui, pode ver.
Em
Ordens são ordens.
A D G C
Em todo caso já temos sua ficha.
A D G C
Só falta o recibo comprovando residência.
A D G C
Pra limpar todo esse sangue, chamei a faxineira -
A D G C
E agora eu vou indo senão perco a novela
(Em F G Em F C B )
Eu não quero ficar na mão"

Nenhum comentário:

Postar um comentário