quarta-feira, 14 de julho de 2010

Gravando música em fita K7


Gerações...Gerações...
Dias desses minha filha de dezesseis anos comentava aborrecida o fato de ter dificuldade de baixar uma música.
Eu lembrei da correria que era para mim na idade dela gravar uma música!
Se não tinha pila pra comprar o LP, nem a fita K7, restava a boa fita BASF 45,60 OU 90 e uma longa e paciente espera para a sua música favorita tocar no rádio.
Tinha que ficar ligado e rezar para a fita não estar no fim! Caso vc estivesse no banheiro e perdesse a hora da música, ou trocava de estação ou esperava no mínimo mais uma hora.
REC e PLAY baixados na tecla, rápido e deu! Aí era só voltar e tocar de novo, de novo, de novo.
O problema era gravar limpinha sem a voz do locutor no início, no meio ou no fim da música. Era difícil escapar do jingle da rádio.
No meio da música sempre tinha uma voz dizendo: "Cidade", "Atlântidaaa", "Continental".
Neste blog nostálgico lembrei de um bailinho em uma noite gelada em Gravataí:
Duas fitas de músicas lentas gravadas do LOVE SONGS da Rádio Cidade, com direito a jingle e cortes bruscos entre uma canção e outra.
Luigi, meu caçula de cinco anos me perguntou: Como vc não tinha internet quando era pequeno? Eles não imaginam a vida sem internet, hoje, nem eu!

4 comentários:

  1. meu deus!!! eu fazia isso tb!!...bem certinho. ficava esperando a musica tocar no rádio, hahahha
    é, a internet facilitou muito nestes termos.

    abraços

    karen

    ResponderExcluir
  2. Bah, ficar ouvindo 'Love Songs' da Radio Cidade, só para gravar as músicas que iriam tocar na próxima festa. "...Love Songs are Back Again..."

    Feito.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. kkk! A gente conta pra gurizada de hoje, eles acham que estamos de brincadeira! Abraço e obrigado pelos comentários!

    ResponderExcluir
  4. Sabe que tenho uma infinidade delas com lindas músicas? Estou repassando uma a uma para guardar as que estão em bom estado.

    ResponderExcluir