sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

MISSÃO IMPOSSÍVEL 4

Impossível não se divertir!
Assim como a série de sucesso da tv, é feito para a gente relaxar , gostar de ver heróis, pensarem, agirem de um a forma tão absurda, mas extremamente cativante.
A série de cinema que Tom Cruise bancou desde o primeiro é assim, não tem a pretensão de se "superar" a cada episódio e sim trazer uma nova aventura com tons de matinés dos anos áureos do cinema e dos seriados que hoje conquistam cada vez mais os telespectadores.
Todos os filmes de MI tem um diferencial: Seus Diretores de características tão diferentes: Scott, Woo, J.J e agora o surpreendente BRAD BIRD (Sim! O autor e diretor de dois sucessos da Pixar: Os incríveis e Ratatouile).
Ps. O Gigante de Ferro também é muito bom, mas infelizmente quase desconhecido por aqui

Cruise também é o produtor e soube dar o tom para cada episódio, e mesmo sem ser fã, eu achei legal os que assisti.
Nesse o mais interessante é o tom cômico que o Diretor trouxe á franquia, tiradas ótimas, que fazem a diferença em um filme que você sabe que terá cenas absurdas de ação, situações impossíveis de acontecer na realidade, mas que a criatividade e a arte, tornam possíveis.
A trama não traz muitas novidades, mas dentro dessas coisas déjà-vu, tem outras surpresinhas que são mostradas aos poucos e principalmente no fim do filme.
O elenco é muito legal , empatia 200% e Paula Patton (ai, ai...) Me deu vontade até de assistir os outros três de novo!
Hoje em dia não assisto seriados, nenhum, mas me deu saudades dos que eu adorava assistir nos anos 70/80 e quem sabe eu me renda aos de hoje que são muitos e com fãs espalhados pelo  mundo.
Alguém aí tem uma dica de seriado atual pra me indicar?


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O SOL - JOTA QUEST

Não sou fã dos caras, mas reconheço que é a Banda de Rock mais alto astral que existe no Brasil.
Não raro suas músicas falam de coisas elevadas, dá vontade de sair pulando, e mesmo as sofridas de amor tem seu ar de esperança.
Essa música, eu gosto muito e acho que serve para muitas pessoas, respirar fundo, levantar a poeira e dar a volta por cima.
Essa "dor" que ele fala, também pode ser "alguém" que te magoou, que te atrasou, que não te quer mais e todos os obstáculos que tendem a prender o ser humano na tristeza, na amargura, no prejuízo.
Que o sol seja a prece, o caminho, o recomeço, o sucesso!
Bom fim de semana a todos!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

HAMLET SINCRÉTICO

Céus! Como demorei pra assistir esse espetáculo! Felizmente nessa vida sempre temos 2ªs, 3ªs, 4ª chances.
Domingo na Sala Alvaro Moreira presenciei algo muito mais superior do que as palavras de quem assistiu havia me dito.
Um dos melhores espetáculos que já vi, orgulhoso como artista por ver essa obra, por ver gente conhecida ali na "lida" e executando com energia, trabalho e talento essa versão de Hamlet.
Lembrei dos poucos momentos que convivi com a Diretora Patricia Fagundes e outros colegas que estudávamos a obra de Shakespeare e suas infinitas versões e possibilidades.
Caraca! Tudo ali muito, muito bom!
Felizmente não foi a última vez, retornarão em 2012 na comemoração dos 10 anos do Grupo Caixa Preta.
Parabéns a todos,  curtas palavras nesse post, muitas lembranças boas e aplausos para vocês!

sábado, 10 de dezembro de 2011

CAFÉ PRETTO Nº 8

Estamos encerrando o ano com 10 programas CAFÉ PRETTO de + ou - 15 minutos que estamos fazendo como projeto piloto para um futuro programa de tv/web cultural.
Sempre procurando divulgar nossos artistas.
Aqui vc assiste o n º 8 com o espetáculo SÓ LOVE e no www.cafepretto.blogspot.com os outros 7!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Um café Pretto ai?


www.cafepretto.blogspot.com
ou no Youtube, só digitar CAFE PRETTO

Neste blog vc assiste na íntegra 6 matérias com artistas nossos, nessa ideia minha e do colega Sérgio Teixeira de levar primeiramente pra internet e posteriormente para a tv um programa que divulgasse nossos artistas e a sua arte.
Estamos naquela fase complicada de captação de recursos, mas já estamos tendo o retorno e o apoio de alguns colaboradores, entre eles, é claro, os artistas que nos abriram as portas e serviram de protagonistas ao nosso projeto.
Agradecendo desde já a todos, estamos ainda com 3 programas em fase final de edição e vamos fechar o ano com 10 matérias.
Abraços! Assistam! Comentem! Divulguem!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

NOITE DE ANO NOVO


O filme é uma colcha de retalhos no mau e no bom sentido. As vezes supre as tuas necessidades, as vezes é curta demais e deixa teus pés destapados, as vezes o tecido é confortável, em outras partes áspero. Te conforta e te incomoda em uma mesma noite. As vezes tu olhas estendida na cama e acha linda, outras tu achas feia e vê as falhas na costura entre os tecidos ou a beleza da combinação delas.
Pra comer uma pipoquinha e passar quase duas horas de distração vale! Mas não espere mais do que clichês o tempo todo, mesmo torcendo que seja surpreendido por alguma ação/reação dos personagens diferente do que eles de cara, já te contaram.
O Diretor Garry Marshall do hipermega sucesso UMA LINDA MULHER é o maestro desse encontro de astros em um mesmo filme (timaço).
Mesmo com tanta gente boa ali, o filme não te conquista! É regular com momentos bons e clichês que as vezes te irritam.
Aqui e ali tem coisas no roteiro que até te empolgam, momentos bons de diálogos, personagens, situações, pra depois tudo descambar no mesmo.
Noite de Ano novo deve agradar os fãs dos contos de fadas românticos contemporâneos de Garry, mas pouco para quem queria um pouco mais do que pipoca e gargalhadas.

PS. Tem umas mensagenzinhas "água com açúcar" típicas de ano novo que me agradam (Quem não tem seu lado careta, atire o primeiro bib's)

E preparem-se para uma chuva de anúncios comerciais na tela!

sábado, 3 de dezembro de 2011

O BOM PULO DO GATO!!!


Personagens coadjuvantes muitas vezes "roubam" um filme, uma peça de teatro, novela, seriado, livro e etc. Não raro, esses personagens por diversos motivos acabam recebendo oportunidades para serem os protagonistas em algum outro momento. Não raro também, vermos fracassos nessas tentativas, até porque o personagem foi criado para ser coadjuvante, para dar aquele recado ali, fazer aquela "escada" ou o "alívio cômico" e deu!
O Gato de Botas, filme que tive o privilégio de assistir com meus filhos em pré-estréia graças ao Clube do Assinante ZH, é um exemplo de quando as coisas dão certo (Para minha alegria)!
O personagem título (Voz de Antônio Bandeiras) foi um dos elementos para que SHREK 2 fosse um dos melhores filmes que assisti na última década e infelizmente naufragou com eles nos fracos 3 e 4.
De bobos os estúdios não tem nada, sabem a empatia do bichano, o potencial dele, querem um caminhão de dinheiro e com um personagens desses na mão...Tinha que tocar ficha mesmo!
E a aventura solo do gato vale a pena, aquele humor dos dois primeiros filmes do Shrek, as características do personagem já mostradas, são exploradas e ampliadas em mais um daqueles filmes que pais e filhos assistem se divertindo juntos.
O 3D do filme é algo fantástico e a história mostra o gato em um plano junto com um ex- amigo de infância e uma gatinha para roubar a gansa dos ovos de ouro do castelo do gigante (João e o pé de feijão) e salvar a cidade.
Fiquei feliz que eles acertaram, o personagem e as crianças merecem uma história legal, um divertimento sadio e lúdico.
Para não dizer que tudo é 100% (Aliás nada na vida) como o filme se passa antes do gato conhecer Shrek, o final do filme não aponta que o gato no futuro, vá aceitar moedas para "matar um certo Ogro"


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Filmes que não valem a pena gastar dinheiro no cinema 3


11.11.11 - Uma boa data, uma boa inspiração para um roteiro de catástrofes, terror, comédia, sei lá! Algo que traga uma boa história para alguns momentos de lazer.
O diretor é o mesmo de alguns filmes da série JOGOS MORTAIS (Assisti apenas dois e deeeu!!) por esse "cartão de visitas" estampado no pôster do filme ele não me atraiu, e se foi uma boa chamada para os fãs da série, eles tanto quanto eu devem ter saído decepcionados ao final.
Não que eu tivesse criado alguma expectativa, mas sabe aquele dia que vc não tem opção mesmo e está na pilha de ir ao cinema?Aliás naquele dia os 4 cinemas do Praia de Belas exibiam só filmes de terror/suspense (pesquisa de mercado?).
O filme é inspirado é claro na data, mas é uma seleção de clichês do início ao fim: Escritor de livros de sucesso depressivo auto-destrutivo que mora num quartinho imundo é chamado pelo irmão com quem havia cortado relações há anos por causa da iminente morte do pai.
Lá vai se inspirando...Escrevendo...E acontecimentos cujo número 11.11.11 está em todas as partes, ocorrem e ou são descobertos pelo personagem em flashbacks.
Na metade do filme eu já tinha desistido dele e fiquei atento somente a fotografia, na direção de arte, no clima (Que também não ajudava muito, nem apontava algo de diferente).
Aqueles sustos clichês de novo, aqueles diabinhos que parecem ter saído dos filmes de demônio dos anos 70/80 e para desespero dos fãs levados pelo diretor: Metade do filme e nenhuma morte! Nenhum corpo destroçado ou cabeça rolando!
Eu tentava desesperadamente me apegar a algo que estava rolando ali para que eu pudesse manter o foco, mas não deu, desisti parte 2!
Bom, o final até que é interessante, existe uma revelação ali, uma trama atrás da trama, que até justifica e te faz sair um pouco menos incomodado quando vc aprecia roteiros de cinema. (Eles ficam te explicando depois em pequenos inserts de frases e imagens que ocorreram no filme para quem não havia captado (dãa) ou aqueles que tinham largado de mão e nem estavam prestando atenção mais como eu.
Filme que só vale a pena, se vc tiver ao seu lado a companhia de alguém legal, um baldão de pipoca, bibs, coca e para dar boas risadas (?)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

E Assim foi LA HERANZA 2011!


Esse espetáculo tem muitas particularidades. Algumas iguais a tantas outras produções (?) de Teatro, outras que somente ele tem!
Após 3 anos na gaveta, resolvemos ressuscitá-lo pensando primeiro na gente, na diversão que era fazê-la e depois no público kkkk! (Pensamento incorreto e anti-profissional gente!!!).
Uma das particularidades: LA HERANZA tem fãs! Sim! Isso Mesmo! Um espetáculo que movimenta paixões, desperta sentimentos, alegrias e pessoas se mobilizam mesmo para assistir, sendo que muitas assistem todas, eu digo, TODAS as apresentações de uma temporada.
Feliz por ver aquelas caravanas de pessoas em comum: Colegas de empresa, amigos, famílias chegando junto, algo que só vejo nas peças da Cia Hariboll.
Feliz por ver o resultado dessa simbiose toda entre cia de atores e público que lotou o teatro em suas duas únicas apresentações, que arrecadou uma boa quantidade de alimentos para o Instituto Espírita Dias da Cruz.
Feliz pelos novos atores que chegaram no mundo dessa comédia absurda: Daniel Machado, Ita Ramires e Natalie Gonçalves . Pela evolução dos veteranos do elenco, que fez com que todos nós esquecêssemos que estávamos trabalhando!
LA HERANZA, como sempre disse é o espetáculo fora das peças espíritas que é o mais prestigiado, eu adoro esse filho, mas vou deixá-lo novamente no seu cantinho, tenho outras histórias para contar, mas quem sabe em 2012 ele volte a pular e brincar??

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA


Sou bairrista! Assumo! Lógico, sem deixar de apreciar as obras “estrangeiras” do “Brazil” e do resto do mundo!

Amo ver as paisagens conhecidas e desconhecidas da nossa terrinha, ouvir o sotaque dos nossos artistas, ver empregados ali o trabalho, talento, suor dos nossos profissionais.

Sempre que posso, “consumo” muito nossos produtos locais, na tv, cinema e principalmente no teatro. Isso não quer dizer que gosto de tudo, mas o fato de ver um colega mais próximo realizando algo, me traz uma alegria maior do que o produto propriamente dito que ele produz.

Há meses eu já ouvia falar do longa A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA, tinha assistido o curta na RBS que já trazia uma parte do filme (Inspirado em O LOUCO DO CATi, de Dyonélio Machado), agora no cinema.

Que bom mais uma vez assistir uma produção gaúcha, onde nossos artistas não servem apenas para “abrir portas” , “dirigirem táxis”, serem “caixas de supermercado” para os globais que vem protagonizar filmes “Gaúchos”. Eles conduzem com competência a história, com direção de Fabiano Souza.

Logo de cara a ótima trilha de Arthur de Faria me ganhou (No decorrer do filme, temos ainda Wander Wildner e o “estrangeiro” Arnaldo Antunes).

Conheço e aprecio o trabalho de Marcelo Adams, gostei de vê-lo interpretar um jovem, ou no mínimo um cara da sua faixa etária pois no teatro ultimamente os personagens dele são “Perturbados”, “históricos" e mais velhos”, no filme ele mostra que sabe rir e ser guri quando dão essa oportunidade! Kkk!

Adorei a interpretação de Rafael Sieg, o "estranho no ninho" do filme, Marcos Contreiras eu já conhecia o trabalho tanto no teatro como em vídeos, e filmes também, gosto muito do trabalho dele.

Miriã Possani tem uma atuação leve, divertida e intensa quando necessário. Amei ela, lindinha!

Gostei de muita coisa do filme: Das locações, da fotografia, de algumas cenas, das atuações, amei o momento “Cinema Paradiso” com a participação do Seu Carlos (?) um funcionário de cinema interpretando a si mesmo, que na naturalidade de sua explicação sobre filmes, percebi que não era um ator: (Criatura mais querida ele, me pareceu!).

Não consegui encaixar a metade final do filme com o início, a inserção do "louco" em uma turma que me parecia fechada e determinada a fazer algo juntos. Isso me incomodou, mas sei que nada ali é gratuito: Foi pensado, inspirado em algo, explicado sutilmente ou por outra forma que eu não captei, Mas... Problema meu!

A arte provoca sempre e não tem o dever de explicar tudo, então, buscar as informações complementares sempre, isso eu digo. (Fui buscar correndo informações sobre o Livro propriamente dito)

Indico para o público em geral assistir, tecer sua opinião, valorizar o que é feito aqui, que está anos luz atrás em termos de pila e reconhecimento de muita coisa “estrangeira”, mas na frente de muitos filmes que entopem os cinemas por ai!

Outra coisa: O fato de o filme estar há tanto tempo em cartaz e os festivais e prêmios que vem recebendo, são o maior comercial sobre ele.


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

DESCULPE YOKO!


Desculpe Yoko...
Fui um dos Beatlemaníacos a te culpar pelo fim...
Fui um dos que te chamou de feia, horrorosa...
Fui um dos que teve ciúmes do amor lindo que viveste com John...
E Você...
Amou John sendo apedrejada por todos os lados
Segurou a onda de um homem complicado
foi sua parceira, empresária, soldado, mulher, mãe
Mostrou que não precisava dele e seu dinheiro quando chutou sua bunda
mostrou que o amava quando a humildade dele lhe pediu perdão
Viveu todas as loucuras e as caretices possíveis com uma pessoa apenas!
John poderia ter quantas e quais mulheres quisesse
em um momento teve.
Mas você, foi em apenas uma, tudo o que ele queria e precisava
E como recompensa viveu a felicidade possível
com um homem as vezes "impossível".
As mais lindas canções de amor de John foram para você!
"Woman" é você
É!
F*-se nós invejosos e que não sabemos o que se passa com as pessoas
julgando, criticando, atirando pedra na "Geni" Oriental!
Depois de 30 anos eu te peço...
Desculpe Yoko
Desculpe Yoko....

terça-feira, 22 de novembro de 2011

"Você...I want to tell You..."


Pode ser cedo para eu te escrever um verso,
uma poesia, uma canção.
Mas sabes, sou artista
o universo, as pessoas
sempre serão minha inspiração.
Sentimentos, acontecimentos simples que me tocam
fazem correr a caneta no papel
o cursor no teclado
me fazem registrar assim o que sinto agora
por aqueles momentos ao teu lado.
Como posso me sentir feliz com coisas tão comuns, simples
que para os outros não são nada, são tolas?
Eu sei o que me toca...Você tocou a canção que eu gosto de ouvir
mesmo sem saber um acorde, mesmo sem querer sentir...
Como posso ver dois mundos tão diferentes
como algo possível, uma coisa boa?
Não se assuste, sou exagerado
de uma frase, escrevo um livro
de um olhar, vem meu sorriso
e as parcerias, curto e valorizo.
A vida feliz é o resultado de uma novela
feita de capítulos bons chamados momentos
Talvez não haja reprise
mas já gravei na mente, no coração
e hoje lembrando de você
veio a inspiração.
Pode não ser tudo isso...
Não se assuste, nem se empolgue
os poetas as vezes são traiçoeiros
mas mesmo o microscópico sentimento
podes crer que é verdadeiro.

By Luis Carlos Pretto 22/11/11 as 9hs da manhã

domingo, 20 de novembro de 2011

ADORAÇÃO - Grupo dos cinco


O resultado de um ótimo trabalho de direção/preparação de ator, uma atriz que dispensa apresentações e o texto ferino de Nelson Rodrigues...Só podia dar no que deu! ADORAÇÃO!
O prestígio do pessoal do Grupo dos cinco é visível pela quantidade de pessoas na sala 505 da Usina do Gazômetro, em plena sexta-feira, 20hs, dia quente e com todas as "tentações" que a estação quente e o dia da semana tem.
Quem vai nas salas ocupadas pelos grupos de teatro da Usina quer ver teatro, não está nem aí pra salas acanhadas, cadeiras simples, corredor estreito de espera, vai porque ama a arte cênica e Beto Russo/Sandra Alencar também demonstram que amam realizando mais um trabalho bem feito.
Muitos artistas de ponta de nossa Capital estava lá para assistir, sinal do já comentado prestígio do grupo perante os colega e também do público em geral.
Que me perdoem meus queridos amigos e colegas da cenografia, iluminação, trilha sonora, mas pra mim teatro é o trabalho do ator e ponto. Me fascina o artista, me encanta em primeiro lugar a sua performance, é ele que me convence sempre (ou não).
Performances como as de Roberto Birindelli e Luiz Henrique Palese (Que mais me marcaram nos últimos anos) só reforçam esse meu amor ao ato de atuar e acreditar que tudo o que está em volta do ator para ajudar a contar a história que ele se propõe são boas ferramentas, mas nunca o essencial, o essencial está ali: O coração palpitando, o corpo suando, o ator se entregando.
ADORAÇÃO traz dois textos inéditos no palco de Nelson Rodrigues, sendo eles: UMA MENINA FOI PARA O CÉO, que ainda não publicado em livro, é capítulo do primeiro romance dele chamado CIDADE - Anunciado pelo jornal O Globo em 1935 e nunca foi localizado na íntegra.
A PAIXÃO RELIGIOSA DE MARIA AMÉLIA, de 1930 (Minha favorita do dia), está entre as dezenas de colunas assinadas no jornal crítica, de propriedade da família Rodrigues, onde ele exercia, sobretudo a função de repórter policial.
Para a classe artística não é novidade nenhuma o bom trabalho do Grupo dos Cinco, mas falo agora para você leitor que nunca assistiu um trabalho deles, um exercício cênico que seja, que prestem atenção! E também aos outros bons grupos de teatro que estão na usina do gasômetro, o sol que brilha e que serve de modelo para fotografias no entardecer do terraço, também brilha do lado de dentro dela, dê-se essa oportunidade, viva a arte!

mais informações: www.adoracaoemcena.blogspot.com


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Teatro Nilton Fº - Sexta Rindo!


Eu sou super suspeito quando vou escrever ou falar sobre o Teatro Nilton Fº ou sobre as montagens da Cia de Teatro Construção. Primeiro pq minha afinidade com as pessoas de lá são mil por cento e a minha afinidade e admiração pelo trabalho desenvolvido por eles, também.
Escrevo com a consciência livre de qualquer outro sentimento que não seja o que o espetáculo Sexta Rindo, me provocou.
A peça se desenvolve em sete quadros de humor com jovens atores (Mais o plus com o sempre jovem Sr. Hyro Mattos). Os personagens e situações foram trazidos e elaborados por eles e a criação final coletiva, recebeu a direção de Nilton Filho.
Sem querer estragar as surpresas: Vemos o rapaz fanho que ama o Tim Maia, A Madame leiloeira de "Um objeto muito valioso", Um adolescente exibicionista na internet, Uma professora de Inglês no País e no colégio errado, Uma velhinha que todo o dia perde o ônibus, mas não uma boa conversa, um contra-regra com seus "pôbremas pessoais" e uma Sra. Afro descendente de atributos avantajados que está em um programa desses "quebra-barracos".
A princípio diriam: "Mais uma peça de stand up, de humor?", eu diria "Não é mais uma! É uma! É Sexta Rindo! Um espetáculo cuidadoso, esteticamente bem feito, e que mesmo nos momentos de "Barraco", "Baixaria", mantém seu nível técnico! Os jovens atores já estudam a arte cênica e atuam há no mínimo dois anos lá, então, estão em casa!
O espetáculo, como o nome diz, é apresentado nas sextas-feiras, então, você tem ainda dias 18 e 25/11, para assistir essa nova geração de atores nesse espaço teatral já reconhecido pela Cidade de Porto Alegre pelos seus ótimos serviços prestados a cultura Gaúcha.
www.teatroniltonfilho.com.br
A matéria em vídeo sobre o espetáculo em breve no blog: www.cafepretto.blogspot.com


sábado, 12 de novembro de 2011

Eu vi um Beatle ao vivo! Ringo!


Nunca pensei que um dia isso iria acontecer na minha vida: Assistir ao vivo um Beatle, ainda mais após ter perdido o show do Paul ano passado.
Ganhei o ingresso de presente do Dia dos Pais (em Agosto, presente pré-datado) da minha filhota Juliana e foram meses de espera.
Fazia muito tempo que eu não ia ao Gigantinho (Legião, Titãs nos anos 80) e nada mudou por lá, a mesma acomodação(?), estrutura (?) e tal. Só pra quem ama mais o artista do que as condições do local para abrigá-lo enquanto aguarda/assiste o show.
Fumei um maço de cigarro, fumei maconha, bebi cerveja tudo passivamente graças as pessoas que estavam na minha volta.
O clima ali era de boa vibe, muita galera do bem, muitos jovens, adolescentes juntamente com os tios e as tias contemporâneos no Baterista dos Fab Four.
Ringo e sua All Starr Band, começaram o show as 21: 04 (Aprenda Roberto Carlos, que judiou da minha mãezinha atrasando sem necessidade o seu em quase uma hora).
Me emocionei vendo Ringo ao vivo na primeira canção: It Don't Come Easy e curti o restante sem muitas emoções, mas feliz por estar ali. A All Starr Band que o acompanha é formada de músicos competentíssimos e com uma coisa em comum: Todos vocalistas de grupos extintos que tiveram uma ou duas músicas de grande sucesso, mas que a maioria desconhecia seus nomes. Mas bastava eles fazerem os primeiros acordes ou cantarem para o público identificar e aplaudir. Destaco: O vocalista da Banda The Romantics com: talking in your sleep e Mr.Mister com "Broken Wings" e The Mccoys com "hang on sloopy" Sucessos dos anos 80! Nesses momentos Ringo serviu apenas como coadjuvante, deixando os integrantes da sua banda cantarem 02 músicas cada, todos com competência.
Dos Beatles, Ringo cantou as que ele gravou como vocalista, lamentei apenas a não inclusão de Octopus's Garden, canção sua do album ABBEY ROAD.
A celebração e festa esperada no meio do show com Yellow Submarine e o final sim emocionante (Chorei parte 2) com With a Little Help from My Friends.
No mais, quem foi ver Ringo, ficou satisfeito e ganhou de lambuja a All Starr Band, um bom show que contemplou os anos 60,70 e 80.
Pra quem foi ver Beatles, há quem saiu decepcionado, mas vale lembrar: Ringo não é Paul, Ringo é Ringo! E na simplicidade dele, é Star!




segunda-feira, 7 de novembro de 2011

CAMINHOS QUE CRUZEI - O livro Já á venda!


Após o pré-lançamento em cerimônia inesquecível no Teatro Nilton Fº e a tão sonhada sessão de autógrafos na 57ª Feira do Livro de Porto Alegre, o livro CAMINHOS QUE CRUZEI, AMIGOS QUE ENCONTREI, que inspirou a peça de mesmo nome, há 11 anos em cartaz, agora já está disponível para os leitores.
Postos de venda nos seguintes locais:
BANCA FOLHETIM - Rua Jacinto Gomes, Esquina com a Av. Venâncio Aires - F: 33352737
FEIRA DO LIVRO - Estande da AGEI - Assoc. Gaúcha de Escritores Independentes
* Em breve nas livrarias do Instituto Espírita Dias da Cruz e da Soc. Espírita Caminho da Luz em Porto Alegre, entre outros locais, divulgados aqui no blog

E Remetemos para o Interior/Brasil/Mundo pelos correios reservando pelo fone: (51) 91867419 e ciahariboll@hotmail.com (Valor do livro + Taxas).

Preço especial de lançamento R$ 20,00 o exemplar

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

CAMINHOS QUE CRUZEI, AMIGOS QUE ENCONTREI - O LIVRO!


É Neste domingo 06/11/11 as 14.30 a sessão de autógrafos do livro da peça CAMINHOS QUE CRUZEI, AMIGOS QUE ENCONTREI.
Estarei lá junto da autora Elis Dutra, do Editor Benedito Saldanha e de alguns amigos do Elenco!
"Simbora" pra feira gente!!!
Sou autor do roteiro da peça, mas o romance na sua íntegra é de co-autoria Felipe/Elis

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O Palhaço!


"Benjamim (Selton Mello) e Valdemar (Paulo José) formam a fabulosa dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue. Eles vivem pelas estradas na companhia da divertida trupe do Circo Esperança. Mas Benjamim acha que perdeu a graça e parte em uma aventura atrás de um sonho. "

Sabe aqueles filmes que você já vai assistir gostando? Era o caso deste, segunda película dirigida por Selton Mello e que veio antecedida de muitos elogios.
Eu não consegui gostar do primeiro filme dele como diretor, o filme Feliz natal é uma agonia pura, um convite para um suicídio, se a proposta dele era essa, então parabéns pra ele e f*se eu!
O Palhaço é um filme do qual eu quase gostei na íntegra, curti muita coisa, mas há algo estranho na dramaturgia cuja profundidade é rasa, apesar de apontar o contrário desde o início.
Tudo indica um circo pobre, com poucos recursos em seus figurinos, cenografia, estrutura. Mas quando começa o espetáculo os figurinos e a estrutura fariam inveja a muitos grupos de Teatro/Circo profissionais (Estranho!).
Indico sim, pois ele como ator continua bem e sua direção conduz a história sem muitas novidades, ora com achados de ângulos/Câmera. A produção é válida por retratar os artistas, a década que ele se passa e as paisagens (locações).
Tem atores conhecidos/desconhecidos e reapresentados ao público (Ferrugem, Moacyr Franco, "Zé Bonitinho") que estão bem e colaboram no quesito "empatia" entre o público e o que está se passando na tela.
Mas o filme no seu todo não me convenceu, não me deu mais do que eu esperava, saí da sessão de cinema do mesmo jeito que entrei, gostando do filme, mas com a sensação de que queria mais do que isso. Mais o que? Sei lá! Coisas do Pretto (ponto final).



terça-feira, 1 de novembro de 2011

Programa CAFÉ PRETTO nº 3

Continuamos indo a eventos culturais, procurando prestigiar e divulgar os artistas. Ainda estamos em fase de testes, programas pilotos, por isso agradecemos de coração aos que estão nos recebendo.
Pedimos desculpas pelos eventuais erros e comunicamos que estamos trabalhando forte para colocar mais essa opção cultural na TV em breve.
Nesse programa, cobrimos a entrega do DIPLOMA DESTAQUE CULTURAL 2011, entregue na Câmara dos Vereadores de Porto Alegre, em um evento da ALAPOA (Academia de Letras e Artes de Porto Alegre) presidida pelo Escritor e Ativista Cultural Benedito Saldanha.
Nossa missão com esse programa é divulgar os artistas, fazer um elo de ligação entre eles e o público, respeitando todo o tipo de manifestação artística.




sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Gigantes de Aço!


Não tive como não pensar em Sylvester Stallone assistindo a esse filme. Ele que a partir do final dos anos 70 nos trouxe (para o bem ou para o mal) personagens que tornaram-se ícones da cultura pop e independente deles, seu nome no cartaz era já o chamativo para longas filas.
Hugh Jackman hoje é um artista desse porte (Com mais capacidade dramática é claro) e que há uma década já vive o mutante Wolverine, mas que também chama a atenção quando seu nome está envolvido em alguma produção seja cult ou de teatro.
Gigantes de aço é um filme legal, apesar que o roteiro já de cara te indique o que vem por ai, mas mesmo sabendo o desfecho final (óbvio para alguns, mais óbvio ainda para quem assistiu Rocky) se consegue passar alguns minutos curtindo a história do personagem central (Jackman) o filho reencontrado e os "robôzinhos" lutadores de box.
Completando o que escrevi no início, Stallone estava lá em Rocky (De cara a gente lembra) e um filme menos pop dele, mas também muito assistido "Falcão o Campeão dos Campeões" onde ele viaja com o filho em meio a disputas de "queda de braço", após a morte da mãe do menino, disputa de guarda com sua família e (re)descobre o elo entre pai e filho.
Mesmo com esse ar de "já vi isso"o filme tem suas características próprias que o conduzem em suas próprias pernas de aço para um bom resultado.
Uma forçadinha de barra nos olhos cheios d'agua do menino na cena final, e uma coisinha ali, outra aqui, não tira a boa impressão do filme.
Filme família para diversão, sem traumas...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

CAFÉ PRETTO - Vídeo!

No ar o piloto de um programa de Teatro/Música que estou fazendo, realizando mais um sonho: Contatar direto com o artista e seu público.
Agradeço ao Sérgio Teixeira que é o câmera e editor pela BAITA força. Mais coisas vem por ai...
abraços!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

MOSKETEIRAS!


Voltamos Sábado em curta temporada!
Mais sobre a peça em www.mosketeirasteatro.blogspot.com

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Cala a boca e filma LARS VON TRIER!!!

Lars! Cala a boca e filma!!! kkkk

Melancolia - O filme - Recomendo ao cubo!

O cineasta Dinamarques Lars Von Trier, eclipsou seu ótimo filme MELANCOLIA no último festival de Cannes com a infeliz declaração sobre o nazismo.
Se foi humor negro, brincadeira, ou verdade, ele perdeu um grande oportunidade de ficar calado. Polêmica sempre anda junto com esse grande Diretor, mas quando fica restrito a obra cinematográfica dele é tão melhor!
Melancolia é um belo filme e pelas carinhas que se vê nessa "película" muito ator graduado de Hollywood sai correndo para estar em uma das obras dele (assim como o fazem com Woody Allen).
Melancolia é um achado, belo, intenso e ao mesmo tempo terno. Mesmo com um final de filme cuja as mortes assemelham-se as dezenas de filmes catástrofe que existem por ai (algo que estranhei) de forma nenhuma incomoda.
Melancolia não é pipoca, não é fast food, é um filme para ser degustado como um bom vinho!
Cujo o cálice é a linda Kirsten Dunst, premiada como melhor atriz em Cannes (Vc não precisa mesmo do tal Homem-Aranha)
Lars, que até hoje está respondendo por suas declarações, fez um comunicado a imprensa após ter sido convocado a depor na polícia de Zelândia do Norte.

"Devido a essas sérias acusações, eu percebi que não tenho as habilidades de me expressar claramente, e a partir deste dia decido que não darei mais entrevistas ou declarações públicas"

PS. Vai entrar no time de Terrence Malick ...É isso aí Lars! Assim como o CALA A BOCA GALVÃO, CALA A BOCA MAGDA, CALA A BOCA E FILMA LARS!!
Atualmente ele prepara seu novo filme: The Nymphomaniac

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Filmes que não valem a pena gastar dinheiro no cinema 2

No início de setembro eu estava ensaiando 2 peças por dia e em um grande intervalo entre uma delas me vi perdido, sem saber o que fazer e não querendo ir para casa. Aproveitei que era daqueles dias que as salas de cinema "imploram" para você ir, com ingresso as vezes 1/3 mais barato.
Entrei para assistir esse pois era o único que ocuparia o horário ocioso, já aborrecido um pouco, mas qualquer coisa eu me encostaria e dormiria um pouco ( como já fiz várias vezes).
Para mim o roteiro é mais furado que peneira, nada justifica nada, nem se fosse besteirol puro, não seguiu linha de humor nenhuma e o que vale mesmo são as imagens de Santiago e um ou dois achados cômicos! Onde está a felicidade? Não sei, mas um filme indispensável aqui não está!
PS...Bruna Lombardi continua linda!

Em "Onde está a felicidade?", Bruna Lombardi interpreta a chef de cozinha Teodora que após perder o emprego e terminar o casamento decide fazer uma peregrinação. O longa foi patrocinado pela Sabesp por meio do Programa de Fomento ao Cinema Paulista, da Secretaria de Estado da Cultura, e no último dia 14 conquistou dois prêmios importantes no Festival de Cinema em Paulínia.

Parte da filmagem foi feita no caminho para a cidade de Santiago de Compostela e também no município de Paulínia, que é conhecido por ser o maior pólo petroquímico da América Latina e cinematográfico do país.


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

1ª MOSTRA DE TEATRO ESPÍRITA - Começa Sexta-Feira

Mais um sonho começando a ser realizado. Reunir todas as minhas peças espíritas em um único evento. Mais de 40 pessoas entre artistas, técnicos e apoiadores vibrando a favor desse acontecimento.
Começa nesta sexta-feira! Ingressos antecipados na Banca Folhetim e na Secretaria do Instituto Espírita Dias da Cruz (Av. Azenha 366).

domingo, 25 de setembro de 2011

Filmes que não valem a pena gastar dinheiro no cinema 1


Sou cinéfilo e isso todos podem observar pelos meus posts. Meu blog agora com o advento do facebook tem menos comentários pessoais, desabafos, críticas que eu posto direto lá. Acho que motivado por uma maior interatividade. Os gestores dos blogs deveriam estar atentos e facilitar isso, pois é ótimo para quem escreve, esse retorno quase imediato.Aqui tem sido geralmente um rodizio das mesmas coisas: Filmes/teatro/minhas peças.
Filmes que não valem gastar dinheiro no cinema 1 - É o nome que dei a uma série de filmes que eu comprei diretamente em DVDS (Aqueles sim! Mais acessíveis financeiramente! kkk). Vou comprando e quando vi, estava com quase duas dezenas de filmes na espera. Ainda sem muito ânimo e fazendo uma seleção, vou assistindo nos horários de folga e paciência e relatando aqui.

RED - Aposentados e perigosos - Mais do mesmo que tem visitado os cinemas nos últimos tempos: Filmes inspirados em HQ. Com o mais do mesmo de Bruce Willis/Morgan Freeman/John Malkovich.
Se a história em si não trazia nada de novo (vide Watchmen), aposentados agentes sendo caçados e exterminados por um "vilão", unem-se para derrotá-lo, também mostra Bruce Willis fazendo o que ele já faz há duas décadas ( e olha que parece que ele tem talento e condições de fazer outras coisas), Morgan Freeman que assim como Willis é o mesmo, tanto fisicamente quanto em filmes. E o bom John Malkovich fazendo o que faz bem: Personagens mais perturbados.
Não que eu não goste do trio principal, gosto! E também simpatizei vendo esse "mais do mesmo"! Uma surpresinha rara aqui, outra ali, o antagonista deles que depois se mostra ter sido enganado, boas cenas de ação, algumas absurdas demais para um filme que se leva a sério, que apesar de ter sido originado de HQ, não é de super-Heróis.
Legal se não levado a sério! (Como eu fiz!)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DEVOLUÇÃO INDUSTRIAL - POA EM CENA


O POA EM CENA está encerrando as atividades desse 18º ano. Novamente porque sou de um "mundo alternativo" estava sempre em atividade com meus ensaios e espetáculos em paralelo ao festival e pouco pude assistir e aproveitar. Assisti a um único espetáculo a convite de Marcelo Adams que coordena o blog do festival e escrevi sobre ele no www.poaemcena.blogspot.com.
Ano passado havia sido convidado também por Rodrigo Monteiro, mas infelizmente não tive como aceitá-lo. Esse ano, consegui e vi um espetáculo extremamente surpreendente e belo:

Uma surpresa atrás da outra, assim eu definiria as quase duas horas que me consumiram entre a expectativa, a apresentação e o encerramento do espetáculo.

Eram 16 horas de um domingo maravilhoso e o teatro estava cheio, que bom! Para eles, para o festival e para nós!

A peça aborda a evolução da raça humana e seus progressos industriais, suas descobertas que se tornam também as nossas.

Deus (?) Está lá presente com seu sopro divino nos mostrando como tudo começou: Dos seres unicelulares até sermos apresentados ao “Homo Sapiens” e “Mulher Sapiens” que também se apresentam, e se descobrem. Partindo dali para um “desfile” onde os personagens: Cantam, plantam, colhem, descobrem, brincam, cozinham e utilizam as máquinas inventadas e descobertas das formas mais interessantes possíveis.

Circo Teatro Udi Grudi –O nome desse Grupo com 28 anos de trajetória que veio de Brasília (DF): O Teatro já havia nos sido mostrado na entrada: Cenografia, luz, figurinos, adereços cênicos, três competentes atores, tudo na medida. O Circo nos foi passado em pequenas e grandes doses de Clown, malabares, mágica (ilusionismo) como preciosas ferramentas no auxílio da narrativa, tornando o espetáculo lúdico e encantador também aos olhos das crianças.

Fazia muito tempo que não via a cenografia de uma peça ser tão bem feita/executada/utilizada, tudo sendo “descoberto”, transformado diante de nossos olhos e no fim ver o espetáculo terminar com um cenário bem diferente do inicial.

Um trenzinho que dá vontade de voltar a ser criança , um banco que transforma-se em disputa, em dificuldade, em edifício, um instrumento simples que torna-se musical pela “engenharia”, o instrumento próprio do ser: A voz em frases, grunhidos, imitações e cantares.

No final, os cinco sentidos da platéia sendo explorados (e porque não o sexto?): Visão (cenografia/figurinos) , tato (toque dos atores no público/interação), audição (vozes afinadas e instrumentos deliciosos de ouvir) olfato ( o cheiro bom da sopa sendo preparada) e o paladar ( a sopa foi servida, bom apetite!).

É a terceira vez que eles vem para Porto Alegre, um prato bom, a gente sempre quer repetir, não é mesmo?

PS Não sabia que nós Gaúchos (pelo menos o público desse dia) era tão relutante em participar e interagir com os artistas, eles tiveram que insistir um bocado para que um adulto e duas crianças fossem ao palco participar.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Hola Manda-Chuva!


A frase do título do post é uma brincadeira com o nome do blog do colega Diretor Teatral Gilberto Fonseca: Adios Mandachuva. ( http://adiosmandachuva.blogspot.com/).
Pois nessa sexta-feira fui surpreendido com o pedido do meu filho caçula Luigi: Queria assistir Manda-Chuva o filme!Tinha uma vaga lembrança de que um filme com o "Top Cat" iria entrar em cartaz e conferi no jornal. Bom, pedido aceito, fui juntamente com o filhote do meio Andrey e nos encontramos com a primogênita Juliana no cinema.
Assisti muito Manda-Chuva na infância, nunca fui seu fã, mas também nunca fugi do desenho do gato malandro e sua turma, assistia na boa.
Antes do filme começar, minha filha, incluída de última hora na sessão de cinema, falou que assistia direto no SBT durante sua infância (Eu nem lembrava disso).
Uma sessão exclusiva para os Prettos, só nos quatro no cinema! O resultado do filme é interessante, atualizaram a rotina dos felinos que era inspirado na década de 60 ainda, (Ex. Guarda Belo ouve o telefone tocar e aparece aquele famoso "orelhão" do beco, mas não, era o seu celular). Gags, piadas visuais, tiradas típicas dos desenhos de hoje tentam reviver o personagem de Hanna Barbera.
Como disse anteriormente, por não ser fã do personagem, não fiquei aborrecido com uma nova abordagem digamos mais "politicamente correta", nem relevei as alterações (poucas na minha visão). Mesmo assim, não se vê hoje em dia, personagens de filmes infantis querendo roubar, como no caso deles atrás dos Rubis de um marajá.
O interessante logo de cara, as placas todas em espanhol ou invés do inglês, então busquei informações e é uma produção México-Argentina . No México o personagem sempre foi muito mais popular do que na sua "terra".
Acho que é um filme com pouco futuro nos cinemas, pois o visual não é o que a gurizada gosta e está acostumada atualmente, as crianças de ontem talvez se aborreçam.
Para mim, foram minutos legais (Ok! Poderia ser mais curto o filme!) com os meus herdeiros, pipocas,refris e chocolates!
Agora voltando ao meu colega Gilberto Fonseca ...Será que ele terá coragem de assistir?
Ele diria Adios Mandachuva pra sempre? Ou assim como eu, simpatizaria um pouco com a versão 2011 do Top Cat?

Ps. Procurei informações para saber se o grande Lima Duarte que fazia a voz do Gato protagonista na série, aparecia ao menos em uma participaçãozinha vocal no filme. Acho que não!

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Cowboys & Aliens


Chama atenção a junção desses dois gêneros absolutamente opostos: Western e Ficção Científica. Já vale um ponto pela criatividade do autor original da idéia Scott Mitchell Rosenberg que foi concebida para uma história em quadrinhos e ganhou as telas de cinema.
Unindo-se nessa mistura o Diretor dos bons filmes da Marvel Homem de Ferro 1 e 2, Jon Fraveau, o novo James Bond Daniel Craig e o nosso eterno "Indy","Han Solo", "Blad Runner" Harrison Ford.
Fui em busca de diversão, então por isso, não me decepcionei, tudo o que me foi mostrado em quase duas horas eu acreditei e comprei a idéia (Salvo os já manjados exageiros que o herói "humano" sempre acaba fazendo, que apesar da gente ter a noção de que é um filme e relevar, nos irrita).
Daniel Craig é Jake Lonergan um homem que acorda no meio do deserto, com amnésia e um estranho bracelete. Vai até a Cidade próxima onde descobre que é procurado por roubo e também por alguns "seres de outro planeta".
Harrison Ford (Meu ídolo) Surge pra minha alegria e surpresa como o antagonista de Craig . Na sua primeira cena como um rancheiro inescrupuloso que "pune" seu empregado, ele tem uma atuação bem diferente do que estamos acostumados e mostra um bom vilão mesmo.
Depois, no decorrer da carruagem, o personagem fica menos tenso, mais maleável e mais perto do mesmo que Harrison fez com seus heróis anteriores do cinema (Que pena!). Ou seja, o aparente antagonista, se transforma em um Han Solo mais velho junto com um Luke (Nada inocente e bonzinho) na luta contra os alienígenas.
Efeitos ótimos, fotografia de encher os olhos, filme de ação que cumpre o que promete no quesito ação!
E a ficção científica está lá explicando e justificando o propósito dos aliens e de um que está infiltrado sob forma humana (quem será?).

PS. NOTA TERRÍVEL: Um casal (Média de 40 anos, não crianças, tampouco adolescentes) absolutamente sem noção sentou ao meu lado, puxaram uma sacola plástica que vinha dentro de uma outra que a mulher carregava. Beberam 4 latas de CERVEJA, comeram MAC (Sim! Isso mesmo!) e falavam o tempo todo tentando "adivinhar" o que acontecia na seqüencia. Infelizmente não tinha como eu trocar de lugar, e também não o faria, pois estava bem localizado.
Final do filme saí apressado antes de dizer algumas coisas a esses "farofeiros de cinema" sem noção. Pipoca, bala, refri, a gente até "tolera" os ruídos e tals! Mas aguentar cheiro de cerveja e mac no cinema é f*!



terça-feira, 6 de setembro de 2011

LEGALIDADE, O MUSICAL EU VI! (PELA TV!)


Já sabia o que Luciano Alabarse e suas dezenas de colaboradores estavam "aprontando" graças a imprensa e as maravilhosas ferramentas da internet como: blogs e o facebook, cujos colegas envolvidos iam nos informando sobre os ensaios, postando fotos e vídeos.
O calor de domingo me incomodou muito (Sim, tenho grandes problemas com o calor!), então permaneci na minha caverna e as 20hs sintonizei na TVE, pois a apresentação seria ao vivo!
Sabia de antemão que teríamos ali colegas extremamente capazes e que veria uma ótima performance de todos, e o vi. O que mais me surpreendeu foi a cobertura ao vivo!
Sou fanático por futebol! Adoro meu Grêmio, assisto sempre quando posso as partidas ao vivo de casa, do computador ou de um aconchegante barzinho (Não curto ir ao estádio) e fiquei fascinado pois associei essa transmissão a de uma partida de futebol, explico.
Na abertura das transmissões, as câmeras abrem-se para o tapete verde onde vão desfilar os atletas, mostra o público, e o narrador e comentaristas explicam detalhes e falam da expectativa da partida.
O mesmo ocorreu, mostrou o palácio, os locais da encenação e o grande público ali presente.
O repórter fala com o técnico antes da partida/O repórter fala com Alabarse antes da apresentação.
O repórter fala com os jogadores antes da partida/O repórter fala com o Dramaturgo e com o Diretor Músical da peça.
A partida inicia e a câmera acompanha com planos geral e fechados com narrador/O espetáculo inicia e a câmeras acompanham o desenvolvimento da ação (felizmente sem narrador e sim os envolvidos cênicamente na proposta).
A emoção é transmitida, com o som da torcida, do barulho da bola, com suas cores e climas/A emoção é transmitida com imagens muito bem captadas/cortes precisos e bom som!
Jogadores com raça buscando o melhor resultado, ora com jogadas fabulosas, outras mais curtas mas efetivas/Atores com raça buscando o melhor resultado, ora com atuações e marcações fabulosas, outras mais simples, mas extremamente objetivas e bem feitas.
No final aplausos (Ou vaias!)/No final aplausos, muitos aplausos.
O repórter vai falar com os jogadores para saber suas impressões sobre a partida./O repórter vai falar com os atores e envolvidos na encenação sobre o que acharam, como se sentiram durante a execução da mesma.
O repórter fala com a torcida/O repórter fala com o público.
Adorei as duas coisas: Ter assistido esse trabalho e do recurso da transmissão ao vivo!
Isso me fez lembrar de um tempo muito antigo (Que eu não vivi!) O tele-teatro, ou o teatro ao vivo captado por uma emissora de TV.
A TVE antigamente captava peças de teatro praticamente na íntegra e os exibia com entrevistas da Cia Teatral envolvida , era muito legal. Mas fazer ali ao vivo como domingo, é de arrepiar! Amei!
Esta aí uma ótima idéia!

sábado, 3 de setembro de 2011

Sarau com Ritmo - Elis Regina

Por iniciativa do escritor Benedito Saldanha, haverá nesta terça-feira 06/09 na Sala Luis Cosme na Casa de Cultura Mário Quintana, 4º andar o Sarau com Ritmo as 19hs.
Vou estar presente prestigiando a iniciativa desse amigo ativista cultural.

Bom,
Para quem não sabe, além desse blog, mantenho dois (Cujas atualizações vocês podem sempre conferir na lista de blogs que eu sigo). São eles: www.ciaharibollteatro.blogspot.com, onde eu trato assuntos da minha Cia de Teatro espírita e www.mosketeirasteatro.blogspot.com que é dedicada a minha nova peça que estreou esse ano.
Ambos os blogs mantém atualizações dessas atividades e também informações a respeito delas.
Mosketeiras volta em curta temporada a partir de 15 de outubro, antecedida pela 1ª Mostra de Teatro Espírita de 30/09 a 09/10.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

SUPER 8 (Ou oitenta?)


J.J Abrams é o Steven Spielberg do presente! Cheguei a essa conclusão depois de observar a caminhada desse diretor cujo seriado LOST foi o grande sucesso que o catapultou para outros seriados, mídias e cinema, culminando agora nessa parceria de ambos em SUPER 8 - O Filme.
O Filme escrito e dirigido por J.J contando com a produção e o aval do pai do E.T, poderia também chamar-se SUPER 80!
Pois vemos muitas semelhanças com os filmes com crianças pré-adolescentes que visitavam as telas seguidamente pelas mãos de Spielberg, e outros outros.
Alguma coisa de Fica comigo, Goonies e principalmente E.T. O Extraterrestre me vieram a lembrança ao assistir esse bom filme.
Não é porque ele se passa nessa década, tampouco porque ele apresenta a tecnologia do "Walkman" é sua magia, sua inocência, sua forma de ser narrado que nos traz essa gostosa nostalgia.
Adolescentes unem-se na idéia de rodar um filme de zumbis (moda atual, altamente identificável aos amantes dos filmes e games. Ao invés do super 8, hoje qualquer câmera de celular, dá pra fazer algo trash!).
Na hora de filmar seu clássico, um "acidente" de trem interrompe o trabalho dos meninos e ele revela-se depois não ter sido ao acaso, foi provocado, liberando uma força misteriosa que vai destruindo a cidade e revelando-se aos poucos.
Gostei da nostalgia (Incomoda-se quem não entendeu a proposta), um filme divertido, bem interessante que recomendo!
Spielberg não iria deixar de produzir um projeto desses, fazendo isso, além da boa grana que ganhou, ele homenageia a si mesmo, e proporciona mais uma oportunidade a esse bom diretor e roteirista contar suas histórias.



domingo, 28 de agosto de 2011

PLANETA DOS MACACOS. A ORIGEM!


Macacos me mordam! Nunca gostei dos filmes do planeta dos macacos (apesar de algumas coisas interessantes ou que ficaram marcadas no cinema), tampouco do seriado que visitavam constantemente os cinemas e as telinhas da tv no decorrer dos anos 70.
O planeta dos Macacos, primeiro filme datado de 1968, estrelado por Charlton Heston teve quatro sequências horrorosas para um nada fã como eu, mas bons para os simpatizantes.
Na febre da macacada ainda nos anos 70, eu assisti o primeiro filme no cinema da minha vida: Os trapalhões no planalto dos macacos, ainda lembro do Humorístico: O planeta dos homens! Cuja abertura era o macaco Sócrates abrindo uma banana, e ao invés da fruta, uma bela mulher!
Para horror dos macaco maníacos, gostei da versão de Tim Burton de 2001, só não entendi até hoje o que ele queria com aquele final (alguém entendeu?).
Mas eis, que dez anos depois, ressuscitam a série, recorrendo aos já famosos "reborns" de séries de sucessos do cinema, ou simplesmente quando os estúdios não tem mais nada de interessante para fazer.
Gostei de Planeta dos Macacos a origem! E acho que os macaco fãs, se apagarem a série da mente e curtir o presente que é essa nova abordagem, também irão gostar.
James Franco é um cara legal de ver na tela, e para minha felicidade também tem a lindinha Freida Pinto (Já disse que te amo?), juntamente com o bom John Lithgow e o já competente "captador de movimentos" Andy Serkis.
O filme é bem feitinho, o roteiro é legal, apesar de já deixar bem claro quem vai morrer, quem vai se dar mal e bla, blá, blá.
Mais um exemplo de que a computação gráfica bem feita ajuda a contar uma boa história, não para atrapalha-la ou tornar-se a personagem principal.
Me rendi a macacada do ano 2011, vou ficar atento as prováveis continuações e para ver a lindinha Freida Pinto de novo (Apaixonado por ela, desde: Quem quer ser um milionário)


sábado, 27 de agosto de 2011

As Mães de Chico Xavier


Só depois de muito tempo, assisti esse filme que tem como fundo o grande trabalho do médium Chico Xavier e no plano de frente as histórias de mães que perderam seus filhos e de um jovem jornalista encarregado pelo chefe, também visitado pela dor da perda, a cobrir o "caso".
Artisticamente falando o filme vale pela presença novamente do ator Nelson Xavier, no mais...O mesmo (Não que o mesmo seja ruim!).
Na minha opinião, os melhores filmes espíritas realizados foram de diretores e iniciativa de produtoras não espíritas.
Cito CHICO XAVIER, o filme e outros não espíritas mas com temáticas muito próximas: GHOST, MORRENDO E APRENDENDO, entre outros, cuja a abordagem da existência do espírito após a morte é narrada de uma forma plena e com resultados muito bons!
Os últimos filmes espíritas lançados no mercado tem uma característica que aborrece a mim como artista e espectador (não o espírita) : São lentos demais, arrastados, quase zero de conflito, não há antagonistas e momentos de tensão e se há são "aliviados" não sustentando a dramaturgia.
Espíritas que estão acostumados como eu a ler livros onde os detalhes, os conflitos, a história nos levam a uma cumplicidade perfeita, não raro nos levando as lágrimas, devem entender do que falo.
Sinto nos filmes atuais como se estivesse indo a uma palestra com tudo bem feitinho, correto, cheio de boas intenções e no final, merecem o aplauso e o reconhecimento pelo trabalho. Mas e ai?
Onde está aquela energia dos livros que não nos deixa sossegar enquanto não terminamos? Onde está o roteiro, e o Diretor com o ritmo para nos transportar para a tela?
Esse filme, Mães de Chico Xavier é assim! Um bom filme para assistir tomando um chá, assim como o do Bezerra de Menezes e até mesmo NOSSO LAR, que trouxe uma grande evolução de técnica, efeitos,divulgação dos livros de André Luiz (Mais biscoitos, por favor!).
Eu queria mais que um retrato correto da doutrina espírita, eu queria um filme que me envolvesse, que fizesse aquilo que a sétima arte nasceu para fazer.
Procuro fazer isso nas minhas peças espíritas, retratá-las como arte, teatro, com seus conflitos, sem suavizar, com sua dramaturgia sem parecer uma palestra doutrinária. Sempre procurando me vigiar como artista, ouvir atentamente o que falam sobre meu trabalho, sabendo bem separar as coisas.
Fico feliz com a realização das obras citadas e outras que estão vindo e gostaria que aliado a boa vontade, ao respeito, ao estudo das obras de Allan Kardek, viesse a sintonia com a arte e dramaturgia e ao cinema.
Um bom filme espírita na concepção ARTE dirigido e produzido pela iniciativa dos espíritas, para mim ainda não "reencarnou" nas telas de cinema!
Chico Xavier o filme é um exemplo a ser seguido, o melhor filme em todos os sentidos, já realizado!


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

BREVES ENTREVISTAS COM HOMENS HEDIONDOS


A união perfeita da teoria, estudo, pesquisa com a prática teatral. Foi a primeira coisa que me veio a mente após assistir esse novo espetáculo da Cia Sarcáustico.

Jovens atores e profissionais que utilizam o que aprenderam no DAD, o que aprenderam também por iniciativa própria e o que estão estudando agora (pois isso nunca para), aliado ao talento para conduzir toda essa teoria, estudo, pesquisa, entrega, ensaios, a quem é o “alvo” principal: O público.

O público não quer saber se é o primeiro ou o último dia, se o artista comeu, dormiu, estudou pouco, estudou muito, está doente, ele quer é circo! E um bom circo! E todo esse conhecimento essa matéria “invisível” que rondou os Sarcáusticos antes da estréia materializou-se felizmente com a devida competência no palco. Essa energia invisível, que anteriormente só as salas de ensaios, as mesas, as mentes individuais sentiram, tem no elenco a sua condução perfeita e bastante visível a todos, no querido teatro de arena em quase duas horas.

Perguntei de cantinho no facebook para o Colin, se eles tinham utilizado o viewpoints (Quer saber do que se trata leitor? Pesquise ora bolas! Kkk) como uma das ferramentas no estudo, visto pelos momentos de interatividade, personagens chamando quem contracenava com eles pelo nome próprio do ator, indicações de término/início de cena com tapas, toques, preparações, quebras, desmanchando interpretações, atores junto com o público fazendo “ola” e etc.

Colin disse que não especificamente, mas como trabalham com isso faz tempo, ficou “entranhado” na forma do grupo ser e criar.

No palco: Ringue de luta livre, (mas pode também ser prisão, animais em jaulas) grades, garrafas de cerveja, vídeo, interatividade até com os técnicos que também vestiam-se a caráter, ou seja, o planejamento materializado e bem visível a todos.

Eu não me choquei em nenhum momento, nem pelas atuações, tampouco pelo texto, nesse “submundo” do autor e de seus personagens, compreendi sua poesia, seus versos cruéis, entendi suas intenções e achei extremamente identificáveis e de fácil assimilação para qualquer tipo de público. Nenhuma cena ali senti como cena mais visceral, forte e tal, nenhum momento que me provocasse a repulsa, e sim a compreensão do que se passava. A justificativa para cada atitude, movimento, tudo na minha visão na medida certa. Vi cenas belíssimas como a dança de Rossendo Rodrigues e Guadalupe Casal, ele falando inglês, ela espanhol. O ótimo início com o mesmo Rossendo em “Como conseguir uma xoxota em 5 estágios” e vi novamente o texto forte sim, e entendo e concordo com as palavras do personagem interpretado muito bem por Daniel Colin no final do espetáculo.

Eu vi, senti e entendi acima de tudo ali: Arte Cênica em seu todo. Meu aplauso, agora com as palavras aos atores/diretores: Daniel Colin/Rossendo Rodrigues/Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático. (E a todos os demais colaboradores).

Antes de dispararem suas “metralhadoras de palmas” em direção aos “hediondos” no final, o público o fez com os olhos, com as expressões de acordo com tudo o que estavam vendo e sentindo.

Na última capa do programa vem escrito:TEATRO DE ARENA, a vida é feita de Atos! Não teria frase melhor para encerrá-lo pois graças a esse ato, temos esse espetáculo ao nosso alcance, graças ao ato do Sarcáustico de se desafiar, temos BREVES ENTREVISTAS COM HOMENS HEDIONDOS.

Atos, realizações, o Teatro Gaúcho/Brasileiro/Mundial (estréia mundial) agradece!

Ah! Quem é o autor? DAVID FOSTER WALLACE? Faça como eu leitor, corra atrás! Informe-se!

Mais informações sobre esse espetáculo e o Grupo Sarcáustico

www.teatrosarcaustico.blogspot.com (também estão no facebook)


sábado, 20 de agosto de 2011

Novelas! vejo, mas não assisto!

Cd ou álbum de trilha, quem nunca teve ou comprou um atire a primeira tela

Para um artista é sempre bom dar uma olhadinha no que se passa na tv, estar antenado, analisando o que se passa na "dramaturgia" da telinha para estar atualizado. Não é necessário se martirizar acompanhando algo que não gosta, mas uma observaçãozinha básica vale.
Eu não desdenho das novelas, olho ao menos um capítulo de cada uma em qualquer canal, mas me pegar como espectador fiel? Olha...Faz tempo que uma não consegue fazer isso comigo.
Os mesmo artistas que vejo espraguejando com a teledramaturgia, se os chamam pra fazer uma pontinha saem correndo bem felizes. Os mesmos falam mal do Porto Verão Alegre, mas estão sempre lá na programação e nos coquetéis, tomando espumante e dando risadinhas.
Essa novela que terminou, devo ter assistido uns 5 capítulos e deu, mas lembro que fui noveleiro nos anos 80 e 90: Roque Santeiro, Guerra dos Sexos, Ti-Ti- Ti, O outro, Vale Tudo, A Viagem, Que rei sou eu?, Brega e Chique, Um sonho a mais, A próxima Vítima, entre outras menos cotadas.
Hoje vejo cada vez o mais do mesmo, inclusive os atores, mas sempre a arte vence a mesmice, sempre um bom personagem, um ator a fim, um diretor que não esteja no automático conseguem bons momentos.
Novela é a cultura do brasileiro e ponto final!
Nosso sonho era ter 10% desse pessoal nos nossos teatros né? Mas fazer o que se os mesmos que devoram livros , ocupam as salas das faculdades, lotam os barzinhos da Lima e Silva, sempre dizem que não tem tempo e choram para pagar 20 pila por um ingresso?
Formação de platéia e paciência...Bom, isso é outro assunto...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

DE VOLTA AOS ANOS 80! O CLUBE DOS CINCO!

Pilotos da Nave que me levou de volta aos anos 80

A Admiradora secreta - Identificado com os amores platônicos e secretos

Porky's Meu lado adolescente safadinho adorava


Após a bem sucedida primeira temporada (Visto pelos comentários e bom público presente), o Clube dos Cinco (The Breakfast Club- 1985), adaptação de Bob Bahlis para o teatro, do filme de mesmo nome, ganha uma curta e bem vinda temporada na Casa de Cultura Mário Quintana.
Eu sou da geração anos 80, tinha praticamente a mesma idade dos protagonistas da maioria desses filmes que se revezavam na Sessão da Tarde, então me identificava e assistia a todos (várias vezes).
O espanto deu-se que eu NÃO HAVIA ASSISTIDO o Clube dos Cinco!Não era uma questão de esquecimento ou de poucas lembranças, esse filme passou reto por mim (Ou eu por ele!).
Como sou um ser esquisito mesmo (confesso) meus favoritos da época era o meloso ADMIRADORA SECRETA (1985) e o safadinho PORKY'S (1982, depois outras continuações) que assisti dezenas de vezes, rindo dos estragos que uma simples carta anônima fazia, torcendo pelo final feliz do amor platônico da protagonista e rindo das zoeiras dos meninos com a descoberta do sexo e de suas fantasias.
A iniciativa de Bob Bahlis e de seus colaboradores me levaram aos anos 80, preenchendo essa lacuna em minha "filmografia oitentista".
A arte muitas vezes é felizmente atemporal e incrivelmente atual, com todos os seus tipos de situações e personagens básicos (Figurinhas fáceis de identificar) até hoje nas escolas.
Cinco alunos por motivos que não cabe aqui revelar, são alvos do castigo do Diretor da Escola e tem que passar uma tarde de sábados juntos em uma sala. Dessa situação forçada eles acabam se conhecendo, expondo seus mundos e situações.
Legal ver o Beto Mônaco em cena, a energia de Pingo Alabarce, (Jovem que está na "lida" direto) a Mariana Del Pino (Que gosto muito do trabalho), gostei do Thiago Tavares, que juntamente com Catharina Cecato Conte e Gabriel Ditelles formam o elenco.
A lição foi feita meninos...kkkk!
PS Ah..Ainda com doses de Tequila Baby no decorrer do espetáculo

O(s) Objetivo (s) de Bob com esse projeto tenho certeza que já começaram a serem alcançados, e como colega, pai e professor de adolescentes apoio e vejo com muito bons olhos essa iniciativa e trabalho.

* Correndo para as locadoras, sites, youtubes para assistir o filme!!!

O CLUBE DOS CINCO
Teatro Bruno Kiefer - Último fim de semana - 19,20 e 21/08
Sextas a Domingos 20hs
www.oclubedoscinco.tumblr.com