sexta-feira, 18 de março de 2011

Cia Artiurbana- Repertório 5


2005- A PRINCESA CAROLINA - Uma comédia Infantil: Eu já trabalhava com teatro infantil há 12 anos, antes de montar o primeiro em nivel profissional e com temporada fixa. Optei por esse texto que já havia saído do papel no Grupo Perseverança. Nele, resolvi fazer uma comédia mesmo, brincando com todos os clichês dos contos de fada, histórias infantis e é claro, do teatro infantil. Com um estilo "infantilizado" do besteirol da peça adulta La Heranza.
Por exemplo: No meio da peça o Rei dizia: "Hei! Estamos em uma peça infantil, toda a peça infantil, tem que ter uma musiquinha", aí entrava o coral real e cantava:
"Toda peça infantil, tem uma musiquinhaaaa
Toda peça Infantil, tem uma musiquinhaaaa
lalalalalá!lalalalalá!
Uma musiquinha nós vamos cantar".
Era um verdadeiro deboche, sátiras, o tempo inteiro, inclusive com alguns pedagogos que podem entender tudo de criança, mas seus textos no palco são um saco!
A inspiração para o clima e linguagem do espetáculo foram os desenhos antigos do Pernalonga e Gaguinho e das animações que ganhavam cada vez mais admiração e público por suas temáticas mais adultas e cheias de citações e paródias.
Foi o espetáculo financeiramente mais fraco que tive, não era clássico infantil, nem de autor conhecido, tampouco made in Disney, ainda...Pegamos o mês de novembro, quente, ensolarado, enfrentando a Feira do Livro, Bienal e nossos poucos recursos para uma divulgação maior e melhor.
Newton Silva, colega das artes cênicas e apresentador da TVE divertiu-se e classificou a peça como: " A Bagasexta Infantil" Comparando-a com o divertidíssimo evento que era produzido pelo Depósito de Teatro de Roberto Oliviera.
Outros jurados do Tibicuera não entenderam a proposta, ou não gostaram, inclusive uma deles a Sra....Saiu do teatro como se tivesse sido ofendida, nem olhando para os atores (Mas educação e cordialidade não se ensina na faculdade, não é mesmo?).
Reconheço que foi uma produção fraca, poderia ter sido muito, muito melhor. Fui irresponsável e ou imaturo em muitas coisas. Felizmente eu tinha um bom elenco, um texto legal e uma proposta diferente que assegurou o resultado final regular.
Depois disso não voltei mais ao teatro comercial com ela, continuei apenas o circuito "alternativo" mais rentável e menos desgastante.
Desde 2008 tenho o texto revisado e toda a produção já apontada com as devidas melhorias...Quem sabe?

Elenco: Alvaro Dimare, Claudia Bósio, Everton Rodrigues, Fernando Rodrigues, Glauco Quadros, Gabriela D'Andrea, Luis Carlos Pretto, Marcos Stumpf e Carolina Caon.
Criação e Op. Luz: Vilmar Silva
Texto e Direção: Luis Carlos Pretto

Nenhum comentário:

Postar um comentário