segunda-feira, 7 de março de 2011

Somos sucesso!


Sempre me achei meio ET, não que as coisas que eu faça na minha vida pessoal e artística sejam excêntricas ou inéditas, e sim por causa de alguns conceitos e caminhos que resolvi tomar nessas duas áreas.
Uma iniciativa ótima da SMC (Sec. Municipal da Cultura) www.maisteatro.blogspot.com, semana que vem promoverá em dois dias um encontro, debate sobre o SUCESSO no teatro.
Nele, vários Diretores e artistas darão seu parecer sobre isso, contando com o público, pois se trata de um evento aberto (mais detalhes no blog acima citado).
Alguns dos convidados, já escreveram no mesmo blog algo a respeito do sucesso, fracasso e critica.
Pois bem, após ler alguns dos posts, NÃO ME SENTI MAIS ET, concordo com muita coisa que escreveram.
Eu me considero um artista de sucesso, pois mantenho minha Cia Artiurbana e seu teatro 100% autoral há 11 anos, tendo a média de um espetáculo novo por ano e sempre com um bom público. E a Cia Hariboll que trata do teatro transcendental realzando um trabalho inédito no RS e com a peça CAMINHOS Q CRUZEI, sendo o espetáculo com maior longevidade do Sul do País e entre as 10 do Rio Grande do Sul.
Querer mais, crescer e evoluir sempre será uma meta, mas estou feliz com o que conquistei e o que sou hoje.
Um dia falei na palavra sucesso para um colega de teatro, que riu, dizendo tu acha isso sucesso? Para ele, sucesso é a Globo,Rio, São Paulo, Fumproarte, Açorianos e etc.
Tudo bem, isso é resultado de um trabalho, que avaliado por outros, pode ser considerado sucesso também, mas não menosprezem o que conquistei e o meu trabalho, senão, viro fera!
Críticas fazem parte mas felizmente não tem poder pra nada, nem para o bem, nem para o mal. (deixa a gente feliz ou irritado!).
O que condena uma peça ao fracasso é o espetáculo que não conquista o público, pois ele é o grande formador de opinião, e o boca a boca corre, ô se corre!
Claro que outros fatores podem contribuir para isso, mas cabe a produção analisar cada caso.
Somos sucesso! Vivemos honestamente da nossa arte, queremos mais, é claro, mas não podemos nos queixar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário