terça-feira, 30 de agosto de 2011

SUPER 8 (Ou oitenta?)


J.J Abrams é o Steven Spielberg do presente! Cheguei a essa conclusão depois de observar a caminhada desse diretor cujo seriado LOST foi o grande sucesso que o catapultou para outros seriados, mídias e cinema, culminando agora nessa parceria de ambos em SUPER 8 - O Filme.
O Filme escrito e dirigido por J.J contando com a produção e o aval do pai do E.T, poderia também chamar-se SUPER 80!
Pois vemos muitas semelhanças com os filmes com crianças pré-adolescentes que visitavam as telas seguidamente pelas mãos de Spielberg, e outros outros.
Alguma coisa de Fica comigo, Goonies e principalmente E.T. O Extraterrestre me vieram a lembrança ao assistir esse bom filme.
Não é porque ele se passa nessa década, tampouco porque ele apresenta a tecnologia do "Walkman" é sua magia, sua inocência, sua forma de ser narrado que nos traz essa gostosa nostalgia.
Adolescentes unem-se na idéia de rodar um filme de zumbis (moda atual, altamente identificável aos amantes dos filmes e games. Ao invés do super 8, hoje qualquer câmera de celular, dá pra fazer algo trash!).
Na hora de filmar seu clássico, um "acidente" de trem interrompe o trabalho dos meninos e ele revela-se depois não ter sido ao acaso, foi provocado, liberando uma força misteriosa que vai destruindo a cidade e revelando-se aos poucos.
Gostei da nostalgia (Incomoda-se quem não entendeu a proposta), um filme divertido, bem interessante que recomendo!
Spielberg não iria deixar de produzir um projeto desses, fazendo isso, além da boa grana que ganhou, ele homenageia a si mesmo, e proporciona mais uma oportunidade a esse bom diretor e roteirista contar suas histórias.



domingo, 28 de agosto de 2011

PLANETA DOS MACACOS. A ORIGEM!


Macacos me mordam! Nunca gostei dos filmes do planeta dos macacos (apesar de algumas coisas interessantes ou que ficaram marcadas no cinema), tampouco do seriado que visitavam constantemente os cinemas e as telinhas da tv no decorrer dos anos 70.
O planeta dos Macacos, primeiro filme datado de 1968, estrelado por Charlton Heston teve quatro sequências horrorosas para um nada fã como eu, mas bons para os simpatizantes.
Na febre da macacada ainda nos anos 70, eu assisti o primeiro filme no cinema da minha vida: Os trapalhões no planalto dos macacos, ainda lembro do Humorístico: O planeta dos homens! Cuja abertura era o macaco Sócrates abrindo uma banana, e ao invés da fruta, uma bela mulher!
Para horror dos macaco maníacos, gostei da versão de Tim Burton de 2001, só não entendi até hoje o que ele queria com aquele final (alguém entendeu?).
Mas eis, que dez anos depois, ressuscitam a série, recorrendo aos já famosos "reborns" de séries de sucessos do cinema, ou simplesmente quando os estúdios não tem mais nada de interessante para fazer.
Gostei de Planeta dos Macacos a origem! E acho que os macaco fãs, se apagarem a série da mente e curtir o presente que é essa nova abordagem, também irão gostar.
James Franco é um cara legal de ver na tela, e para minha felicidade também tem a lindinha Freida Pinto (Já disse que te amo?), juntamente com o bom John Lithgow e o já competente "captador de movimentos" Andy Serkis.
O filme é bem feitinho, o roteiro é legal, apesar de já deixar bem claro quem vai morrer, quem vai se dar mal e bla, blá, blá.
Mais um exemplo de que a computação gráfica bem feita ajuda a contar uma boa história, não para atrapalha-la ou tornar-se a personagem principal.
Me rendi a macacada do ano 2011, vou ficar atento as prováveis continuações e para ver a lindinha Freida Pinto de novo (Apaixonado por ela, desde: Quem quer ser um milionário)


sábado, 27 de agosto de 2011

As Mães de Chico Xavier


Só depois de muito tempo, assisti esse filme que tem como fundo o grande trabalho do médium Chico Xavier e no plano de frente as histórias de mães que perderam seus filhos e de um jovem jornalista encarregado pelo chefe, também visitado pela dor da perda, a cobrir o "caso".
Artisticamente falando o filme vale pela presença novamente do ator Nelson Xavier, no mais...O mesmo (Não que o mesmo seja ruim!).
Na minha opinião, os melhores filmes espíritas realizados foram de diretores e iniciativa de produtoras não espíritas.
Cito CHICO XAVIER, o filme e outros não espíritas mas com temáticas muito próximas: GHOST, MORRENDO E APRENDENDO, entre outros, cuja a abordagem da existência do espírito após a morte é narrada de uma forma plena e com resultados muito bons!
Os últimos filmes espíritas lançados no mercado tem uma característica que aborrece a mim como artista e espectador (não o espírita) : São lentos demais, arrastados, quase zero de conflito, não há antagonistas e momentos de tensão e se há são "aliviados" não sustentando a dramaturgia.
Espíritas que estão acostumados como eu a ler livros onde os detalhes, os conflitos, a história nos levam a uma cumplicidade perfeita, não raro nos levando as lágrimas, devem entender do que falo.
Sinto nos filmes atuais como se estivesse indo a uma palestra com tudo bem feitinho, correto, cheio de boas intenções e no final, merecem o aplauso e o reconhecimento pelo trabalho. Mas e ai?
Onde está aquela energia dos livros que não nos deixa sossegar enquanto não terminamos? Onde está o roteiro, e o Diretor com o ritmo para nos transportar para a tela?
Esse filme, Mães de Chico Xavier é assim! Um bom filme para assistir tomando um chá, assim como o do Bezerra de Menezes e até mesmo NOSSO LAR, que trouxe uma grande evolução de técnica, efeitos,divulgação dos livros de André Luiz (Mais biscoitos, por favor!).
Eu queria mais que um retrato correto da doutrina espírita, eu queria um filme que me envolvesse, que fizesse aquilo que a sétima arte nasceu para fazer.
Procuro fazer isso nas minhas peças espíritas, retratá-las como arte, teatro, com seus conflitos, sem suavizar, com sua dramaturgia sem parecer uma palestra doutrinária. Sempre procurando me vigiar como artista, ouvir atentamente o que falam sobre meu trabalho, sabendo bem separar as coisas.
Fico feliz com a realização das obras citadas e outras que estão vindo e gostaria que aliado a boa vontade, ao respeito, ao estudo das obras de Allan Kardek, viesse a sintonia com a arte e dramaturgia e ao cinema.
Um bom filme espírita na concepção ARTE dirigido e produzido pela iniciativa dos espíritas, para mim ainda não "reencarnou" nas telas de cinema!
Chico Xavier o filme é um exemplo a ser seguido, o melhor filme em todos os sentidos, já realizado!


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

BREVES ENTREVISTAS COM HOMENS HEDIONDOS


A união perfeita da teoria, estudo, pesquisa com a prática teatral. Foi a primeira coisa que me veio a mente após assistir esse novo espetáculo da Cia Sarcáustico.

Jovens atores e profissionais que utilizam o que aprenderam no DAD, o que aprenderam também por iniciativa própria e o que estão estudando agora (pois isso nunca para), aliado ao talento para conduzir toda essa teoria, estudo, pesquisa, entrega, ensaios, a quem é o “alvo” principal: O público.

O público não quer saber se é o primeiro ou o último dia, se o artista comeu, dormiu, estudou pouco, estudou muito, está doente, ele quer é circo! E um bom circo! E todo esse conhecimento essa matéria “invisível” que rondou os Sarcáusticos antes da estréia materializou-se felizmente com a devida competência no palco. Essa energia invisível, que anteriormente só as salas de ensaios, as mesas, as mentes individuais sentiram, tem no elenco a sua condução perfeita e bastante visível a todos, no querido teatro de arena em quase duas horas.

Perguntei de cantinho no facebook para o Colin, se eles tinham utilizado o viewpoints (Quer saber do que se trata leitor? Pesquise ora bolas! Kkk) como uma das ferramentas no estudo, visto pelos momentos de interatividade, personagens chamando quem contracenava com eles pelo nome próprio do ator, indicações de término/início de cena com tapas, toques, preparações, quebras, desmanchando interpretações, atores junto com o público fazendo “ola” e etc.

Colin disse que não especificamente, mas como trabalham com isso faz tempo, ficou “entranhado” na forma do grupo ser e criar.

No palco: Ringue de luta livre, (mas pode também ser prisão, animais em jaulas) grades, garrafas de cerveja, vídeo, interatividade até com os técnicos que também vestiam-se a caráter, ou seja, o planejamento materializado e bem visível a todos.

Eu não me choquei em nenhum momento, nem pelas atuações, tampouco pelo texto, nesse “submundo” do autor e de seus personagens, compreendi sua poesia, seus versos cruéis, entendi suas intenções e achei extremamente identificáveis e de fácil assimilação para qualquer tipo de público. Nenhuma cena ali senti como cena mais visceral, forte e tal, nenhum momento que me provocasse a repulsa, e sim a compreensão do que se passava. A justificativa para cada atitude, movimento, tudo na minha visão na medida certa. Vi cenas belíssimas como a dança de Rossendo Rodrigues e Guadalupe Casal, ele falando inglês, ela espanhol. O ótimo início com o mesmo Rossendo em “Como conseguir uma xoxota em 5 estágios” e vi novamente o texto forte sim, e entendo e concordo com as palavras do personagem interpretado muito bem por Daniel Colin no final do espetáculo.

Eu vi, senti e entendi acima de tudo ali: Arte Cênica em seu todo. Meu aplauso, agora com as palavras aos atores/diretores: Daniel Colin/Rossendo Rodrigues/Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático. (E a todos os demais colaboradores).

Antes de dispararem suas “metralhadoras de palmas” em direção aos “hediondos” no final, o público o fez com os olhos, com as expressões de acordo com tudo o que estavam vendo e sentindo.

Na última capa do programa vem escrito:TEATRO DE ARENA, a vida é feita de Atos! Não teria frase melhor para encerrá-lo pois graças a esse ato, temos esse espetáculo ao nosso alcance, graças ao ato do Sarcáustico de se desafiar, temos BREVES ENTREVISTAS COM HOMENS HEDIONDOS.

Atos, realizações, o Teatro Gaúcho/Brasileiro/Mundial (estréia mundial) agradece!

Ah! Quem é o autor? DAVID FOSTER WALLACE? Faça como eu leitor, corra atrás! Informe-se!

Mais informações sobre esse espetáculo e o Grupo Sarcáustico

www.teatrosarcaustico.blogspot.com (também estão no facebook)


sábado, 20 de agosto de 2011

Novelas! vejo, mas não assisto!

Cd ou álbum de trilha, quem nunca teve ou comprou um atire a primeira tela

Para um artista é sempre bom dar uma olhadinha no que se passa na tv, estar antenado, analisando o que se passa na "dramaturgia" da telinha para estar atualizado. Não é necessário se martirizar acompanhando algo que não gosta, mas uma observaçãozinha básica vale.
Eu não desdenho das novelas, olho ao menos um capítulo de cada uma em qualquer canal, mas me pegar como espectador fiel? Olha...Faz tempo que uma não consegue fazer isso comigo.
Os mesmo artistas que vejo espraguejando com a teledramaturgia, se os chamam pra fazer uma pontinha saem correndo bem felizes. Os mesmos falam mal do Porto Verão Alegre, mas estão sempre lá na programação e nos coquetéis, tomando espumante e dando risadinhas.
Essa novela que terminou, devo ter assistido uns 5 capítulos e deu, mas lembro que fui noveleiro nos anos 80 e 90: Roque Santeiro, Guerra dos Sexos, Ti-Ti- Ti, O outro, Vale Tudo, A Viagem, Que rei sou eu?, Brega e Chique, Um sonho a mais, A próxima Vítima, entre outras menos cotadas.
Hoje vejo cada vez o mais do mesmo, inclusive os atores, mas sempre a arte vence a mesmice, sempre um bom personagem, um ator a fim, um diretor que não esteja no automático conseguem bons momentos.
Novela é a cultura do brasileiro e ponto final!
Nosso sonho era ter 10% desse pessoal nos nossos teatros né? Mas fazer o que se os mesmos que devoram livros , ocupam as salas das faculdades, lotam os barzinhos da Lima e Silva, sempre dizem que não tem tempo e choram para pagar 20 pila por um ingresso?
Formação de platéia e paciência...Bom, isso é outro assunto...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

DE VOLTA AOS ANOS 80! O CLUBE DOS CINCO!

Pilotos da Nave que me levou de volta aos anos 80

A Admiradora secreta - Identificado com os amores platônicos e secretos

Porky's Meu lado adolescente safadinho adorava


Após a bem sucedida primeira temporada (Visto pelos comentários e bom público presente), o Clube dos Cinco (The Breakfast Club- 1985), adaptação de Bob Bahlis para o teatro, do filme de mesmo nome, ganha uma curta e bem vinda temporada na Casa de Cultura Mário Quintana.
Eu sou da geração anos 80, tinha praticamente a mesma idade dos protagonistas da maioria desses filmes que se revezavam na Sessão da Tarde, então me identificava e assistia a todos (várias vezes).
O espanto deu-se que eu NÃO HAVIA ASSISTIDO o Clube dos Cinco!Não era uma questão de esquecimento ou de poucas lembranças, esse filme passou reto por mim (Ou eu por ele!).
Como sou um ser esquisito mesmo (confesso) meus favoritos da época era o meloso ADMIRADORA SECRETA (1985) e o safadinho PORKY'S (1982, depois outras continuações) que assisti dezenas de vezes, rindo dos estragos que uma simples carta anônima fazia, torcendo pelo final feliz do amor platônico da protagonista e rindo das zoeiras dos meninos com a descoberta do sexo e de suas fantasias.
A iniciativa de Bob Bahlis e de seus colaboradores me levaram aos anos 80, preenchendo essa lacuna em minha "filmografia oitentista".
A arte muitas vezes é felizmente atemporal e incrivelmente atual, com todos os seus tipos de situações e personagens básicos (Figurinhas fáceis de identificar) até hoje nas escolas.
Cinco alunos por motivos que não cabe aqui revelar, são alvos do castigo do Diretor da Escola e tem que passar uma tarde de sábados juntos em uma sala. Dessa situação forçada eles acabam se conhecendo, expondo seus mundos e situações.
Legal ver o Beto Mônaco em cena, a energia de Pingo Alabarce, (Jovem que está na "lida" direto) a Mariana Del Pino (Que gosto muito do trabalho), gostei do Thiago Tavares, que juntamente com Catharina Cecato Conte e Gabriel Ditelles formam o elenco.
A lição foi feita meninos...kkkk!
PS Ah..Ainda com doses de Tequila Baby no decorrer do espetáculo

O(s) Objetivo (s) de Bob com esse projeto tenho certeza que já começaram a serem alcançados, e como colega, pai e professor de adolescentes apoio e vejo com muito bons olhos essa iniciativa e trabalho.

* Correndo para as locadoras, sites, youtubes para assistir o filme!!!

O CLUBE DOS CINCO
Teatro Bruno Kiefer - Último fim de semana - 19,20 e 21/08
Sextas a Domingos 20hs
www.oclubedoscinco.tumblr.com

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Meia Noite em Paris! Impossível ver só uma vez!


Entre as correrias de gente "anormal" como eu, fui assistindo alguns filmes, peças e como a prioridade era utilizar esse blog para divulgar minha arte eu fui deixando de postar meus comentários sobre o que andei vendo por ai.
MEIA NOITE EM PARIS - Assisti no fim de semana de estréia no ótimo cinema Artplex no Bourbon Country, (Meu cinema favorito) cópia estalando de novinha. Fã de Woody Allen é suspeito para falar, quando se gosta muito de um artista a gente tem até dificuldade de ter uma impressão negativa do trabalho, nos apegamos a uma frase, a um detalhe que justifique na nossa mente a admiração por cada novo passo, nova obra. (Sou assim com Legião Urbana/Beatles/M.Night Shyalaman) e esse novo filme, para mim é uma pequena obra prima.
Achei regular o filme anterior (Você vai encontrar o homem dos seus sonhos) apesar de curtir o ar "Allen" e ver "monstros" em cena.
Neste último sábado, fui assistir de novo, na simpática cinemateca Paulo Amorim na CCMQ, para meu espanto, mais de cem pessoas no sábado a noite, alguns como observei, assim como eu, indo assistir pela 2ª vez.
A cópia estava já bem desgastada, com aqueles típicos "riscos", saída de foco, ruídos no som e tals, mas a obra por si só contentou mais uma vez.
Owen Wilson é um canastra de "sorte", faz cada bomba, quase se mata com drogas, ao mesmo tempo tem oportunidades de estar em obras tão boas como essa.
Um filme que se a gente contar um pouco do enredo, estraga, vi que muita gente optou por esse filme pelo mesmo se passar em Paris, sem levar muito Woody em conta, e com certeza não saíram decepcionadas.
Admito que alguns artistas retratados ou citados, me escaparam e aí está a função também da arte: Nos prestar informações! Nos ensinar!Logo fui pesquisar sobre os que me fugiam o conhecimento e complementar o que eu sabia sobre os citados/representados.
Um filme para fã e não fã ter em casa! Informação, arte e entretenimento todos juntos!
O cartaz que escolhi para esse post para mim é o que melhor representa o filme, mas entendo a opção pelo outro que tem o casalzinho apaixonado (?) que é mais "vendável".



terça-feira, 9 de agosto de 2011

CARTAZ OFICIAL DA MOSTRA TEATRO ESPÍRITA


Depois de meses de atividade na Cia Artiurbana com a estréia de Mosketeiras (Pra nossa felicidade foi...Supimpa! kkk) e envolvido também com as peças: Woody e as mulheres neuróticas e A amante da minha esposa (Também com ótimos resultados na 2ª Mostra de Comédias do Hebraica), volto minhas energias em minhas "origens".
Promover, produzir em duas semanas a 1ª Mostra de Teatro Espírita da Cia Hariboll . Feito inédito na Capital Gaúcha em nível de programação cultural aberta. Existem mostras sim de arte, teatro, mas infelizmente só entre as casas espíritas em eventos fechados e curtos. (Por sinal com resultados ótimos, mas que precisam aparecer para todos).
Esse é o objetivo, o primeiro passo para que futuramente, esteja no calendário cultural da Cidade. Que todos possamos evoluir como artistas, produtores e fazer da arte com temática espírita um bom exemplo de técnica, talento e evangelização.
Estacionados não evoluímos, vamos colocar essa energia, essa luz criadora ao alcance de todos, só assim aprendemos, ensinamos, erramos, enfim, vivemos!

domingo, 7 de agosto de 2011

Capitão América - O Filme!


Em férias teatrais, ontem voltei a outra sala de arte que amo: O cinema! Com o corre-corre das montagens, ensaios e tal, deixei por um bom tempo de lado esse meu amor pela sétima arte.
Capitão América foi meu alvo, muito mais pelo trailer do que pelo meu interesse pelo herói bandeiroso cujos gibis eu devorava, mas que nunca foi meu preferido.
Depois de Batman, o cavaleiro das trevas é seguramente no seu todo melhor filme de herói que vi nos últimos anos. Correto, realista (Apesar de isso ser difícil em filmes do tipo), as vezes se esquece que é um filme inspirado em quadrinhos e se vê algo parecido com Indiana Jones ou de guerra.
Gostei muito, desde o primeiro segundo, até o final que a gente sai sabendo um pouco sobre o filme que vem aí: Vingadores, mas também com uma ponta de ansiedade pelo Capitão América 2, já que pontas ficaram soltas, nada que não encerre bem o ciclo desse filme, mas curiosidades sobre o que espera esse soldado que ficou congelado mais de cinco décadas.
Um bom roteiro, um bom elenco, direção, arte, enfim, um bom filme!
Enquanto outros estúdios que tem os direitos dos outros heróis da Marvel parecem dar um passo pra trás (O novo filme do homem aranha, contando tudo de novo!), a Marvel estúdios parece entender muito bem do material que tem e tem acertado muito mais que errado.
Homen de Ferro 1 e 2 são bons, Thor pra mim, deixou um pouco a desejar (mas passa por média), mas Capitão América, como disse, no seu todo tá no topo!
Entretenimento, pipoca com qualidade!

sábado, 6 de agosto de 2011

Voltando para casa...


Voltar a fazer teatro espírita é como voltar para casa depois de um longo e cansativo dia de trabalho. Após uma longa viagem de negócios longe dos seus afins, é voltar feliz pelo que realizou, pelo que cativou e ainda mais por estar abraçando amigos (visíveis, invisíveis), energias que te são familiares.
Sou um artista, mas sou mais espírito. Muito mais que uma opção mercadológica, fazer o teatro espírita é uma opção existencial, natural, que trato com amor, cuidado e respeito.
São 18 anos de um trabalho de formiguinha, longe dos holofortes, dos prêmios, do reconhecimento do "mundo", dos grandes cachês, mas muito perto de energias tão belas que são inacessíveis infelizmente para a grande maioria.
Só nos sabemos quem está conosco, quem nos ajuda, quem nos cobra, quem nos move. Hoje são 4 espetáculos, envolvendo em torno de 40 pessoas diretamente, trabalhando, pesquisando, estudando, perseverando e alcançando centenas de pessoas a cada ano.
Buscar o equilíbrio entre a mensagem consoladora do evangelho e a técnica teatral sempre foi o objetivo. Para entender o Espiritismo existem os livros, existem palestras gratuitas, nós procuramos oferecer a arte com essa temática trazendo o estudo que temos. Nossa arte transcendental é uma opção que como qualquer manifestação de arte, agrada e desagrada. Mas no final das contas as energias tão sutis que circulam entre nosso trabalho, entre nossas apresentações que parecem não fazer diferença para alguns, depois mostra-se uma grande ferramenta no momento da dor...
Quem me dera ao menos uma vez que as diferenças artísticas fossem respeitadas, os pensamentos, os espetáculos, a evolução de cada um, sem que alguém queira ser o rei do teatro, ou o dono da verdade artística. Amar e vibrar na mesma sintonia é impossível, mas o respeitar e o calar (se não tiver algo positivo pra dizer) é muito bem vindo.
Feliz por voltar para a casa, para a Hariboll Cia de Teatro e promover a 1ª Mostra de Teatro Espírita.

Luis Carlos Pretto - Um cara ainda em aprendizado na arte cênica e ainda mais na arte da evolução do espírito.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Ringo Starr! Aí vou eu!


Nunca imaginei assistir ao vivo a performance de um Beatle. Paul veio ano passado e eu simplesmente "comi mosca" poderia ter ido, inesquecível, segundo 200% dos que foram.
John e George já passaram para o outro lado, e agora, Ringo estará entre nós.
No segundo dia do meu retiro espiritual depois de semanas e meses intensos de teatro, recebo adiantado o presente de dia dos pais da filhota Juliana Pretto.
RINGO STARR & HIS ALL STAR BAND - Esse é o show que assistirei em 10/11/11 (longe né? Uff!) as 21hs.
Mas o ingresso guardadinho, e o tempo, vocês sabem como é...Quando a gente acha que vem...Foi!

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Joana de Ângelis


A partir de ontem iniciei um retiro, para ler, pesquisar, respirar um pouco e renovar minhas energias. Feliz com a estréia e a repercussão de MOSKETEIRAS. Com a confirmação do bom jogo cênico que está WOODY e as MULHERES NEURÓTICAS e o retorno em alto estilo de A AMANTE DA MINHA ESPOSA. Agora, como sempre, volto minha atenção ao novo espetáculo da HARIBOLL CIA DE TEATRO, um nova peça espírita que será intimista, e dedicada a esse grande espírito, essa(s) grande(s) mulher (es) que foi (foram) (é!) Joana de Ângelis.
Coisas muito "estranhas" tem acontecido desde que decidi que ela será o tema do meu 4º espetáculo com essa temática.
Só para falar de um...Hoje (1 agosto), ao comentar sobre isso com um amigo, simplesmente em minutos ele me deu o mais novo livro que fala sobre ela, de presente!
Uau!!!
E hoje oficializo essa montagem para vcs até para também ser cobrado e me comprometer com esse trabalho tão belo que ela fez (faz)!

Previsão: Março 2012