domingo, 30 de dezembro de 2012

INTOCÁVEIS..."APAIXONÁVEIS"




Sou um cinéfilo que vai da cultura pop aos filmes Iranianos, Argentinos, Peruanos, Indianos entre outros que fogem do circuito comercial mas nos visitam, principalmente nos cinemas da Casa de Cultura Mário Quintana.
Mesmo aberto a todas as possibilidades cinematográficas, apesar de  já ter lido e ouvido falar muito bem desse filme, o fato dele ser Francês e de tratar da história de um Tetraplégico e seu "pajem" não me despertava o devido interesse e motivação para assistir.
Mas felizmente, eu me boicoto, coisas que á primeira vista não me parecem interessantes, eu dou uma segunda chance e me surpreendo.
INTOCÁVEIS tocou fundo no meu coração, pode não ter sido em vários aspectos de análise profissional o melhor filme de 2012, mas de longe foi o que mais me tocou, mais me deixou em êxtase e sem receio nenhum digo que é um dos melhores filmes que já vi na vida.
Não é um filme difícil, as vezes parece que é uma produção americana com atores franceses, mas a simplicidade da narrativa, um roteiro precioso de momentos deliciosos, um elenco de cair o queixo (principalmente os protagonistas) faz desse filme, apesar de não ter nenhuma fórmula inovadora em sua realização, uma pequena pérola, uma jóia.
O filme nos pega já nos primeiros cinco minutos, não os usa para apresentar os personagens e suas origens, já nos coloca direto em contato com eles em ação em uma pequena mostra do que virá na sequência.
O roteiro teria tudo para transformar-se em um filme choroso e cheio de mensagens de moral, de superação e etc...(Não duvido que se fosse americano, o seria) mas não! Há humor, há diálogos que te surpreendem em situações que você ri e se emociona somente pelo fato de que ótimos profissionais estão ali contando uma história humana, sem carregar nas tintas.
Um filme perfeito, um dos fortes concorrentes ao OSCAR de Filme Estrangeiro, que pelo seu valor e pela reconhecida fama dos votantes sensibilizarem-se com filmes assim, acho que ganha com louvor.

Recomendo, recomendo, recomendo, recomendo!!!!


Sinopse:
Philippe (François Cluzet) é um aristocrata rico que, após sofrer um grave acidente, fica tetraplégico. Precisando de um assistente, ele decide contratar Driss (Omar Sy), um jovem problemático. De início, eles enfrentam vários problemas, já que ambos têm temperamento forte, mas aos poucos passam a aprender um com o outro.

Ficha técnica:

Diretor: Olivier Nakache, Eric Toledano
Elenco: François Cluzet, Omar Sy, Anne Le Ny, Audrey Fleurot, Clotilde Mollet, Alba Gaïa Kraghede Bellugi, Cyrril Mendy, Christian Ameri
Produção: Nicolas Duval-Adassovsky, Laurent Zeitoun, Yann Zenou
Roteiro: Olivier Nakache, Eric Toledano
Fotografia: Mathieu Vadepied
Trilha Sonora: Ludovico Einaudi
Duração: 112 min.
Ano: 2011
País: França
Gênero: Drama
Cor: Colorido
Distribuidora: Califórnia Filmes
Estúdio: Chaocorp / Gaumont / TF1 Films Production / Quad Productions
Classificação: 14 anos

sábado, 29 de dezembro de 2012

VIDA...PROFESSORA 24 HS


Trouxe para essa vida alguns materiais didáticos
matriculado novamente por um bondoso pai
para que finalmente eu aprenda algumas lições
repetente que sou em algumas questões.
Tudo o que eu tive dificuldade
a vida tratou-se de me fazer entender
não que eu tenha aceitado
mas com o passar do tempo
minha mente mais esclarecida com o estudo e a vivência
viesse a aprender.
A bela frase "Dar sem esperar receber"
De imediato ela nos causa simpatia
mas a sua prática na maioria das vezes ainda nos
faz o peito doer.
Queremos recompensa, queremos retorno, queremos ter,
mas com o passar do orgulho, ao abrir um pouco nossa mente pequena
vamos finalmente perceber
que fazer alguém sorrir, fazer o bem
por si só é um grande prazer.

As sementes que você joga a cada ato movido pelo amor
por mais simples que seja
por mais invisível que pareça
logo mais adiante aparece para você o fruto
como uma bela e deliciosa cereja.
Somos alunos rebeldes que só queremos saber do recreio
de olhar para o lado
de paquerar.
Aí a Vida...Professora 24 hs, com carinho ou com dureza
nos põe no lugar.

Luis Carlos Pretto 29/12/12

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

LLAMA AZUL


Eu não preciso nem quero explicar
o motivo do meu sorriso e o brilho do meu olhar.
Você me fez tão bem
Me diga como não me apaixonar?
Talvez você me ajude a explicar...
Por que essa gente se esconde, joga tanto, faz tanto mistério
quando somente se quer alguém que as leve a sério?
Um beijo, um abraço, um recado, um improviso
que não seja mais um engano
que não seja só de amigo
e mesmo você saindo
continuei a te ver.

Eu não preciso nem quero entender
o sentimento que mora aqui no meu peito e quer te visitar.
Você me fez tão bem
Me diga como não me apaixonar?
Talvez você me ajude a explicar...
Por que essa gente se esconde, mente tanto, faz tanto mistério
quando somente se quer alguém que as leve a sério?
Um beijo, um abraço, um recado, um improviso
que não seja mais um engano
que não seja só de amigo
e mesmo você saindo
continuo a te ver.


Luis Carlos Pretto

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

JESUS É UM CARA LEGAL!!


Não imagino um Jesus Cristo distante...
Um Jesus segurando um chicote...
Um Jesus sem sorriso
Um Jesus "casca dura"
Um Jesus Deus
Um Jesus sem simpatia
Um Jesus sem empatia.

Não creio em um Jesus
Carrancudo
Ditador
Inalcançável.

Mesmo quem não crê na bíblia
E duvide de quem escreveu
ou na existência desse ser de luz
atenha-se as palavras, aos atos, ao exemplo
isso é Jesus

Eu creio em um Jesus
Irmão
Paciente
Sábio
Bem humorado
Otimista

Um conjunto de palavras
de atos
de amor
de ações em prol do bem
elas podem ser consideradas
Jesus também.

Nada distante
Nada Santo na concepção formal
Fora a sua reconhecida plenitude espiritual
Jesus é um cara normal
Jesus é um cara legal!.

sábado, 22 de dezembro de 2012

ELAS IMPROVISAM!


De uns quatro anos para cá houve uma febre dos espetáculos de Stand up e de improviso.
Nada inédito, mas graças a bons artistas que se utilizam desses estilos de comédia, eles tiveram um grande alcance. Alguns tentaram pegar carona, mas ficaram pelo caminho.
Ainda hoje o stand up tem fôlego com dezenas de bons comediantes, o improviso ficou mais raro, mas ainda tem nos BARBIXAS e AVACALHADOS um bom exemplo de longevidade e bons resultados.
Para mim, stand up já vinha desde a época que eu assistia uns raros vhs de Woody Allen, Edye Murphy e do Chico Anysio. Em 2007 eu fazia um espetáculo de improviso chamado O JOGO DO AMOR, no Bourbon Shopping de São Leopoldo, onde eu e minha querida amiga Gabriela D'Andrea éramos um casal em crise.
Apesar de entender que a arte também é um produto, de precisar vendê-la para sobreviver, nunca consegui criar algo visando isso em primeiro lugar.
Esse ano, um projeto que eu vinha pensando há uns dois anos, ganhou vida. Trata-se da comédia de improviso ELAS IMPROVISAM formado só por atrizes que ficam a mercê do público e do único homem que é o mediador e o "agente do caos".
Contando com as atrizes que já trabalham comigo nas Cias Hariboll e Artiurbana, esse exercício já testado em eventos, ganhou os palcos durante dois dias em novembro na Casa de Cultura Mário Quintana.
Em nossa estréia o público improvisava, ou seja, na entrada ele decidia quanto iria pagar pelo ingresso.
No palco, quatro atrizes sempre tem um convidado especial do sexo masculino que abre a apresentação, depois participa do quadro SAPATADA, onde elas literalmente acabam com ele.
Com temas, frases e interatividade na hora, o público decide o destino das meninas em vários jogos, alguns criados por nós, outros adaptados, ou seja, nada inédito, mas procuramos dar a nossa identidade, nossa característica.
As pessoas cada vez mais querem ir ao teatro para se divertir e esse tipo de comédia, de exercício é daqueles raros que o ator também se diverte.
Em 50 minutos, as atrizes improvisam explorando o universo feminino, suas peculiaridades, sempre sendo "encurraladas" pela decisão do público, pela ordem do mediador e por elas mesmas que na eterna rivalidade feminina tentam colocar a colega em apuros.
A disposição para apresentarem-se em: EVENTOS, CONGRESSOS, FEIRAS DO LIVRO, FESTAS, VELÓRIOS, só nos contatarem.
ELAS IMPROVISAM, participarão da 4ª MOSTRA DE TEATRO COMÉDIA - No Teatro Hebraica, dias 22, 23 e 24 de Janeiro, as 21hs

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

PAULO E ESTEVÃO EM 2012


Esse ano essa obra literária da dupla Emmanuel/Chico Xavier completou 75 anos.
A adaptação teatral que fiz completou 17 anos.
Aprovada pela FEB (Federação Espírita Brasileira), a licença é renovada a cada dois anos.
Esse ano com as comemorações da data da primeira edição da obra, era de se imaginar que seriam muitas atividades em comemoração a esse romance histórico sobre a vida de Paulo de Tarso, segundo o guia espiritual de Chico Xavier.
Sempre brinco dizendo que PAULO E ESTEVÃO é a minha PAIXÃO DE CRISTO, pois anualmente monto o espetáculo com meus alunos e atores profissionais da Cia Hariboll em no máximo duas apresentações.
Só que esse ano, fomos muito além, nos apresentando em Porto Alegre e Litoral, tendo o impressionante nº de mais de 2.300 pessoas (isso mesmo!!! Duas mil e trezentas) nos assistindo nas cinco apresentações (Boa média de 460).
Como nunca foi o objetivo do Grupo em fazer temporada, tampouco turnê com o espetáculo, ficamos impressionados com os números e experiências vividas nesses dias.

JUNHO 21- Abertura da 2ª MOSTRA DE TEATRO ESPÍRITA - Teatro da AMRIGS, 700 lugares ocupados, sendo que os antecipados cessaram dois dias antes.
JUNHO 28- Apresentação anual na nossa casa: SOCIEDADE ESPÍRITA CAMINHO DA LUZ . 300 kg de alimentos não perecíveis para as obras sociais.
SETEMBRO 8- Apresentação em TORRES no auditório da Ulbra  para um público acima de quinhentas pessoas. Evento promovido pela UME-TORRES
OUTUBRO 27- Apresentação em SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA, nas festividades comemorativas aos 25 anos da Sociedade Espírita FONTE DE LUZ. Um grande público no Grêmio Recreativo Patrulhense.
NOVEMBRO 9- Apresentação no TEATRO DA AMRIGS em evento promovido pela CASA FRANCISCA JÚLIA, em torno de 500 pessoas presenciaram nossa despedida dos palcos em 2012.

Nossa equipe conta com 40 pessoas entre técnicos, atores, figurantes, contra-regras e produtores. Foram cinco momentos fantásticos, histórias vividas, sentidas para guardar eternamente no coração.


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Doze anos de CAMINHOS Q CRUZEI

 
Encerramos o 12° ano de apresentações da nossa primeira peça de teatro.
CAMINHOS QUE CRUZEI, AMIGOS QUE ENCONTREI estreou em 30/09/00.
De lá para cá muitos caminhos, muitos amigos, muitas alegrias, alguns momentos de tensão e muito, muito aprendizado.
Iniciamos o ano fazendo parte pelo 10º ano seguido do festival PORTO VERÃO ALEGRE, que tornou-se uma tradição das artes cênicas no Rio Grande do Sul. Foram 03 deliciosas apresentações no mês de janeiro, onde voltei a atuar constantemente, após um tempo só dirigindo, ou participando de alguma cena.
Em Abril, um grande público tomava conta do Teatro da Amrigs, em evento promovido pela APARS/RS, Associação Portadores de Parkinson, onde começamos a perceber ainda mais que o nosso trabalho não chamava só a atenção do público espírita, despertava interesse e carinho do público em geral, independente da crença.
Em Junho, com o friozinho já chegando, apresentamos na Casa de Cultura Érico Veríssimo em Capão da Canoa, em evento promovido pela Soc. Allan Kardec e o movimento espírita do Litoral Norte.
Lotação esgotada, com direito a cadeiras extras e apresentação para mais de quatrocentas pessoas. Nesse dia, estreou no elenco o jovem ator Eduardo Camargo.
Em Julho fizemos a apresentação de Sábado na nossa 2º MOSTRA DE TEATRO ESPÍRITA no Teatro da AMRIGS (Que tornou-se nossa casa, onde mais apresentamos nesses últimos dois anos).
Em Outubro foi a vez de Bento Gonçalves, o público lotou o salão do  CLUBE BOTAFOGO, Mais de seiscentas pessoas em um grande evento produzido por Chico Rampazzo e seus colaboradores.
Em Novembro, o grande desafio, fomos convidados pelos organizadores da FEIRA DO LIVRO de Camaquã para apresentarmos no palco principal, na praça, para o público presente na feira, escolas e os sempre colaboradores amigos espíritas que nos auxiliam com o seu carinho e divulgação.
Pela segunda vez no ano, nos foi mostrado que acima de tudo nosso trabalho é reconhecido como um trabalho do bem, que traz a arte e também uma boa mensagem e  isso é o mais importante.
O livro da peça teve sua 1ª edição ESGOTADA nas vendas em livrarias e nas apresentações, sendo já encaminhada uma 2º.
Participei como palestrante e com sessão de autógrafos nas feiras de CAPÃO DA CANOA E SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA
Muito feliz com os caminhos da minha filha mais velha, que abriu as portas para tanta gente, para mim e sempre vai ser o nosso carinho, o nosso caminho.
Debaixo de aplausos, sorrisos, críticas, boas vibrações, vamos seguindo, procurando melhorar sempre, respeitando o nosso tempo, o nosso público, o nosso momento.
Agradeço a todos: Elenco, técnicos, produção, por mais esse ano bom!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

CARAVANEIROS DA FRATERNIDADE


Dalva é uma querida amiga.
Há anos promove caravanas de amigos de ideal para assistir nossos espetáculos espíritas.
Pessoa do bem que prestigia a arte espírita e promove ações junto a outros trabalhadores na sua casa espírita CARAVANEIROS DA FRATERNIDADE, situada na Restinga.
Dia 01/12/12 fomos até lá apresentar a peça A MENINA QUE NÃO SABIA REZAR na festividade natalina oferecida as crianças que por lá se evangelizam e recebem também a assistência social tão importante para o desenvolvimento também do corpo físico.
Ficamos maravilhados com a estrutura do local, do esforço de inúmeros trabalhadores que colocaram aquele castelo (Definição que me veio) do reinado de paz, amor e fraternidade em pé.
A apresentação da peça foi deliciosa e as crianças fisicamente falando e as que moram no peito dos adultos adoraram, mas quem definitivamente saiu ganhando em conhecer o local e ter essa oportunidade fomos nós, com certeza.
Principais atividades da CARAVANEIROS:
Atendimento fraterno, caravanas de visitação aos lares, culto do evangelho no lar, sessões doutrinárias (palestras públicas), trabalhos de assistencia social espírita, grupos de estudo sistematizado da doutrina espírita, estudo teórico e desenvolvimento prático da mediunidade, reunião de pais, evangelização de crianças, jovens e adolescentes, sessões de apoio, desobsessão, orientação espiritual, passes, preces e irradiações.
Auxilia também famílias carentes distribuindo cestas básicas, roupas, enxovais infantis, sopa e outros itens de necessidade.

Contato:
SOCIEDADE ESPÍRITA CARAVANEIROS DA FRATERNIDADE
Estrada João Antônio da Silveira, 1937
Vila Restinga - Porto Alegre - RS
F: (51) 32502090
falecom@caravaneiros.org.br
www.caravaneiros.org.br


domingo, 16 de dezembro de 2012

NAVALHA NA CARNE ACONTECEU!


Nos dias 04, 05 e 06 de dezembro, foram realizadas na sala 4 do Departamento de Arte Dramática da UFRGS (DAD) as apresentações da peça de Plinio Marcos NAVALHA NA CARNE.
Abrindo a MOSTRA DE TEATRO DAD 2012/2 e mostrando o trabalho que desenvolvemos no Estágio de Direção de Leandro Ribeiro.
Tive a oportunidade de por cinco meses conviver com pessoas incríveis, profissionalíssimas, estudantes e amantes da arte teatral. Atuei junto a Claudia Lewis e Douglas Carvalho (ótimos artistas e pessoas) e com um jovem Diretor Teatral da paz, do bem, que consegue um bom resultado dos atores sem estressá-los e incentivando-os sempre. Compreendendo os limites de cada um, os dias não tão bons de ensaios e criando um clima extremamente bom e democrático para o bom andamento do trabalho.
Desde fevereiro quando ousei abrir o facebook no meu primeiro dia na praia no carnaval e recebi o convite, respirei e vivi essa história junto aos colegas. Com algumas pausas no processo por vários motivos, passamos praticamente o ano envolvidos: Ensaiamos no frio, na chuva, no calor escaldante, nos esgotamos nos ensaios, as vezes só conversávamos.
Mudança de rumo nas marcações, na forma de contar a história, me estressaram, porém também me motivaram a buscar alternativas e o mais legal era que todos ajudavam todos.
As apresentações foram muito boas, viscerais, com alma, com corpo, com entrega, o retorno do público foi nosso pagamento, nosso carinho, nosso consolo, nosso repouso dos corpos cansados.
Na quinta-feira dia 06 para finalizar, duas sessões, duas doses de energia lá em cima, que só a vibração e o universo teatral sabe explicar como conseguimos. (Meia hora antes da segunda, eu mal conseguia segurar uma garrafinha de água).
Com a assistência de direção da querida Magda Schiavon, a parceria dos jovens: Amália, Marcia e Julio que contribuiram e muito no clima da história e em nossas construções de personagens e atuações, fizemos um bom trabalho.
Valeu pela experiência, valeu fazer parte desse importante momento de Leandro Ribeiro e da Cia Gato & Sapato, mais amigos e caminhos nesses caminhos que cruzei.
Duas fotos da apresentação estão aqui e são de Caio Proença.


sábado, 15 de dezembro de 2012

FUGINDO PARA VIVER - NASCEU!!!

Vídeo com a ficha técnica e música tema original da banda Salto Quântico


FUGINDO PARA VIVER é o novo espetáculo da Cia Hariboll.
Nasceu do encontro que eu tive com o autor do livro: Adeílson Salles, após nossa 2ª Mostra de Teatro Espírita na AMRIGS.
Adeílson é um autor Paulista cujos livros infantis e infanto-juvenis venderam milhares de exemplares, assim como seus romances e livros espíritas, entre eles a adaptação da obra PAULO E ESTEVÃO para jovens leitores.
A Cia Hariboll não tinha ainda em seu repertório um espetáculo que abordasse a juventude, Adeílson nunca teve um livro seu adaptado de forma oficial para o teatro.
Então, após um bate papo sobre possibilidades, incluindo de haver um texto inédito, o autor me presenteou com o livro, ele tratava do assunto jovens versus alcool, era esse.
Duas semanas e o roteiro teatral já estava pronto, o elenco selecionado e o projeto feito.
Aprovado por ele (Inclusive as inevitáveis adaptações), foram três meses de ensaios, estudos, produções.
Com o elenco jovem (média de idade de 16 anos) foram necessários muitos ajustes de horários, paciência, para que eles pudessem conciliar um trabalho forte, com o final de ano letivo.
O elenco (12) foi selecionado por mim entre meus alunos das oficinas de teatro, da Cia Hariboll e três oriundos das oficinas de teatro de Nilton Filho.
A trilha sonora original é de Alexandre Camargo e Banda Salto Quântico
Dia 08/12/12 nossa data limite para o ano, realizamos o ensaio aberto da peça, onde pudemos mostrar ao nosso público convidado o estágio atual do nosso processo de montagem.
Ficamos desde já felizes com o retorno que tivemos dos espectadores, já estávamos simpatizando com o que víamos nos ensaios, mas nada melhor do que um teste efetivo: A PLATÉIA.
Com essa experiência já na bagagem, após três semanas de férias, voltaremos aos ensaios para nossa estréia oficial dentro da programação do PORTO VERÃO ALEGRE 2013, onde além do desafio normal de um início de trajetória, vamos estar no feriadão de carnaval em cena.
Estou muito feliz com esse novo "filho", com essa nova parceria com Adeilson Salles que já rendeu mais dois espetáculos a serem produzidos no futuro e com a possibilidade de trabalhar com uma galera jovem e do bem.!




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Quando você quiser...


Quando você quiser
Quando você souber o que eu sinto
Acho que eu vou corar
fingir que não é nada contigo.
Não faço apostas
sigo o meu coração
que as vezes não me segue
me cega
e me deixa na mão.
E a solidão, velha amiga
deixa eu acreditar que ainda há um lugar para mim
naquele coração
ou que eu acorde finalmente
pois estou sonhando
até então.


Escrevi essa letra de música há mais de dez anos e dedico aos que tem e tiveram seus amores platônicos! 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

EU NÃO ACREDITO EM ACIDENTES!


Por que aquela bala perdida não encontrou o bandido, ou o seu rival e alojou-se em uma criança? Por que aquele poste caiu na casa minutos depois que o morador saiu e os fios elétricos atingiram exatamente o vizinho no momento que chegou em casa? Qual o Significado de Acidente?

subst. m.
1. acontecimento inesperado: 2. desastre: 3. doença inesperada
Partindo da idéia da existência de Deus, de que ele é um pai JUSTO que ama e zela por seus filhos igualmente, para mim a palavra acidente só serve para determinar as ocasiões inesperadas que interrompem a existência física de nossos irmãos nesse plano. E fim.
O mundo gira, as leis da física estão aí, são muitas ações ao mesmo tempo, e entre tantas coisas, tanta gente, circulamos diariamente. Sobreviver ou morrer em ações inesperadas da natureza, da violência, da imprudência não é loteria, não é questão de sorte.
A morte virá para a todos, infelizmente não será como todos gostariam: Bem velhinhos dormindo.
A existência física de muitas pessoas são extintas diariamente  de várias formas, de várias idades e isso não significa o castigo, a injustiça deles e o prêmio e a justiça aos que "escapam".
Creio em uma resposta para tudo, nas lições que a dor ensina aos atingidos pelos "acidentes" e aos seus familiares, e que ao retornarem a pátria espiritual não o fizeram no "susto" e sim tudo na devida explicação que nossa limitação não compreende.
O Bandido, o jovem, o velho, a criança, o policial, antes dessas denominações físicas, profissionais e morais, há um espírito com as suas lições, o seu tempo destinado, que fora em alguns casos raros e específicos não é por outras razões alheias a sua, abreviado.
 Os acidentes marcam, entristecem, enlutam, elevam quem sobrevive, mas não consigo ver neles nada mais do que algo extremamente natural, onde vai pro mundo de lá ou fica por aqui quem tem de ficar.
Nunca se encontra alguém ao "acaso", por acidente, se provocamos nossa própria dor ou de terceiros por nosso descuido, imprudência ou falta de intensão, as "vítimas" não são escolhidas, não são salvas, independente do resultado, elas são amadas e amparadas pelo amor daquele ser tão falado, tão desacreditado, e por fim, tão difícil de ser compreendido: Deus, nosso pai amado.
Acidente para mim é só uma palavra

terça-feira, 30 de outubro de 2012

GONZAGA - De pai para filho


A frase de que o cinema é a arte do Diretor é quase uma verdade absoluta.
Assim como cada um tem a sua identidade e raros (raríssimos) conseguem realizar filmes totalmente diferentes as suas características e marcas pessoais.
Breno Silveira que surpreendeu o País com o ótimo 2 FILHOS DE FRANCISCO, seguiu a fórmula em filmes menos assistidos e da mesma forma, bons e sensíveis.
GONZAGA DE PAI PARA FILHO, é filho direto do primeiro filme citado. Essa fórmula repetida não é ruim, muito pelo contrário, trás ao público a história sofrida de mais um quixote das artes, o Rei do Baião Luiz Gonzaga e na carona, o não menos genial Gonzaguinha.
O filme é uma delícia que faz a gente relembrar o baião, o forró, a música popular de bom gosto e ouvir novamente a deliciosa MPB de Gonzaguinha que partiu cedo.
Todos os profissionais da equipe técnica foram muito felizes no que realizaram, os atores cumprem suas funções a contento, com coadjuvantes experientes e protagonistas que convencem e tornam o filme bom como é.
Os três atores que fazem o Gonzagão, tem a empatia e a energia necessária para convencer e motivar a continuar assistindo. Julio Andrade dá um show como Gonzaguinha.
Até fiquei com vontade de dançar um baião bem pegado!
Indico!

terça-feira, 9 de outubro de 2012

SOMBRAS DA NOITE


Existem cineastas, que tem uma marca tão pessoal que é impossível não identificá-la nos seus filmes.
Proposital ou não, independente do roteiro, as marcas estão lá na película como digitais, únicas, exclusivas, identificáveis.
Assim são: Woody Allen, Quentin Tarantino e Tim Burton (Vou ficar somente nesses três exemplos).
Esse último filme de Burton é deliciosamente...BURTON!
Está lá a comédia de humor negro, a aventura, a fantasia "gótica", a trilha de Danny Elfman, a fotografia, a direção de arte, os personagens afetados e...Johnny Deep é claro!!
Mais um personagem deliciosamente estranho vivido por esse "bruxo" de Burton, assim como a ótima "primeira dama" do cineasta, Helena Bonham Carter, contando ainda com a volta da veterana Michelle Pfeifer e do bom Jackie Earle Haley de quem fiquei fã após sua interpretação de Rorschach em Watchmen.
Muitas vezes o mágico não é fazer algo totalmente diferente e sim, fazer coisas diferentes, sem perder suas características, tampouco preocupar-se com isso.
O filme poderia ter sido um pouco mais ousado? O Diretor poderia se arriscar um pouco mais? O filme está muito pipoca? O roteiro tem algumas falhas e as vezes é raso? Arrisco dizer que sim.
Mas é essa essência Burton que me encanta em seus filmes, alguns mais, outros menos, Porém, esse Sombras da Noite me deixou com sorriso nos lábios. 

SINOPSE:

O filme conta a história de uma família ameaçada por uma terrível maldição. Ainda em 1752, o casal Joshua e Naomi Collins e o jovem filho Barnabas (Johnny Depp), partem de Liverpool, na Inglaterra, para começar uma nova vida na América o que a princípio parece dar muito certo.
Barnabas se torna um homem rico, poderoso e muito popular. Sua vida vai muito bem até que ele comete o grave erro de partir o coração da bela Angelique Bouchard (Eva Green). A jovem é na verdade uma bruxa que como vingança, transforma o playboy em um vampiro e permite que ele seja enterrado vivo.
Apenas dois séculos depois Barnabas é libertado de seu túmulo e volta para um mundo completamente diferente de 1972. Quando retorna a Collinwood descobre que sua propriedade está em ruínas. As pessoas que restaram da família Collins vivem numa trama de segredos obscuros e problemas que na medida do possível são resolvidos pela psiquiatra Dra. Julia Hoffman. 
* A inspiração do filme vem da série televisiva de mesmo nome dos anos 60 (Que já busquei assistir algo)
* Filme legal! (Apronta a pipoca!)

Elenco: Johnny Depp, Eva Green, Michelle Pfeiffer, Jonny Lee Miller, Chloë Grace Moretz, Gulliver McGrath, Helena Bonham Carter, Jackie Earle Haley, Bella Heathcote, Christopher Lee,Hannah Murray,Thomas McDonell, David Selby, Jonathan Frid,Alice Cooper e Lara Parker.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

LOOPER

Filmes sobre viagens no tempo nunca foram novidades no cinema.
Os líderes da cultura pop que dominaram esse tema nas últimas décadas: Exterminador do Futuro e De volta para o futuro.
Eles exploraram bem o tema, aliado com o ótimo entretenimento a que se propunham, conquistaram a merecida fama.
Outros fizeram cópias genéricas e ficaram pelo caminho, no esquecimento, outros que se propunham a explorar o tema com um pouco mais de seriedade e menos preocupação com a bilheteria, infelizmente também.
Looper é um bom filme.
É quase o mais do mesmo, mas com uma diferença pouca, que faz diferença.
É um filme de ação que cumpre o que promete, é um filme sobre viagens no tempo, que assim também o faz.
Joseph Gordon Lewitt é o mocinho da vez, embalado pelos últimos dois bons filmes de Christopher Nolan (A orígem e Batman) e do outro lado o cada vez mais Bruce Willis, Bruce Willis.
Joseph é um mercenário contratado para eliminar pessoas que são enviadas do futuro, pessoas que segundo a "organização", devem ser mortas no passado para que no futuro não existam.
Tudo muda quando o próximo "serviço" encomendado é ele mesmo (Interpretado por Willis) no futuro.
Então segue uma caça do mercenário contra a sua versão do futuro, que consegue escapar e tenta assassinar o líder da organização que o enviou para o passado.
Só que esse cruel líder no futuro, é uma criança diferenciada do presente, na qual ele instintivamente vai proteger.
A gente lembra ali de cenas do Exterminador, cenas do De Volta para o Futuro, cenas de X-Men, Minority report. Não tem como ser muito original com temas tão (bem ou mal) explorados no cinema, mas esse vale.
O final? Bom...Fico por aqui!
Bem interessante. Gostei!

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

EVANGELIZAR É AMAR


Em 1º de Setembro tive o prazer de ser convidado para o show de lançamento do 2º Cd da Banda de Música Espírita EVANGELIZAR É AMAR.
Já havia ouvido falar neles, mas como andava afastado do movimento espírita há quase dez anos, não tinha quase nenhum contato com a sua obra musical.
Foi tudo muito rápido! Em Agosto, meu amigo Júnior de Sto Antônio da Patrulha me presenteou com o CD nº 1 e ao ouvir pensei: "Hum...Existe música espírita autoral no Rio Grande do Sul e..De ótima qualidade!".
Dias depois recebi o convite para estar presente no show.
Sempre soube que o movimento musical espírita no Interior do Estado é forte e tem um trabalho contínuo e bem desenvolvido ( Santa Maria, entre outros). Mas descobrir os meninos do Evangelizar é Amar me deixou feliz e irritado ao mesmo tempo.
Feliz de ver um trabalho muito bem feito tecnicamente e irritado por não tê-los conhecido antes, ou "por onde andei nesses anos que não conhecia os caras?".
No Show que lotou o Teatro Bruno Kiefer (Mostrando a força do movimento espírita e do trabalho dos meninos), eu via manifestações de fãs de qualquer banda "normal", via o pessoal cantando junto as músicas  em alta vibração. Não raro eu parava de ver a banda para olhar para o público, sério, a última vez que eu vi um público em tão perfeita sintonia com uma banda foi em um show da Legião Urbana no final dos anos oitenta.
As músicas dos CDS 1 e 2 são em boa parte autorais de uma beleza incrível, compostas pelos integrantes do grupo, que também se revezam nos vocais. Juntamente com a colaboração de outros autores, torna o repertório deles um convite irrecusável para ter no seu playlist.
Não há momento especial para ouvi-los, os ritmos são vários: Reggae, rock, balada, hip-hop/eletrônica e as deliciosas infantis. (Acabando com o estigma de que música espírita só na hora do evangelho no lar, para colocar nas casas espíritas, para momentos de meditação e etc.)
As letras inspiradíssimas falam sobre amor, evangelização, Jesus, espiritismo sem ser piegas, sem ter rimas fáceis, sem ter aquele rótulo de "música de religião", ou seja, são tão bem feitas, tão deliciosamente executadas que as vezes você até esquece de que se trata de um grupo musical espírita e passa a curtir todo o contexto: A arte, a música feita com amor e qualidade.
Claro que me tornei fã, e farei o que tiver ao meu alcance para que o trabalho dos meninos ganhe mais espaço, eles que assim como eu, começaram nos encontros espíritas, nas apresentações fechadas de Conjergs, tardes Juvenis, centros Espíritas. Disse para Dani Angelo que está na hora (Acho eu! kkkk) de colocar um pouco dessa luz sobre a mesa, há muitas pessoas carentes das duas coisas no mundo atual: Boa música e mensagens elevadas e isso, felizmente, eles tem de sobra.
E por esses "mistérios" da vida, no CD 2 faixa 21 há uma música chamada JUVENTUDE que eu compus para o Grupo  Vocal do DIJ do Instituto Espírita Dias da Cruz no final dos anos noventa, mas quem desde lá vem executando-a , divulgando-a e trabalhando nela são eles, tornando-a conhecida e querida da juventude (Com direito a coreografia). Então amigos, a música não é mais minha, é nossa!
Estou muito feliz mesmo, que exista o Grupo EVANGELIZAR É AMAR e tantos outros grupos musicais, teatrais, de dança, poetas, escritores, pintores, que infelizmente não conheço e gostaria de conhecer.
A Doutrina divulgada e ilustrada pela arte, que coisa bela! E que deve ser incentivada sempre!!
Srs. Dirigentes, Srs. Presidentes de Sociedades Espíritas, que tal perder um pouco de medo da ARTE? Vamos deixar esse pássaro voar?? Todos nós só temos a ganhar!
Agora a trilha sonora deles é que recebe o público antes das nossas apresentações de teatro. Enquanto estamos lá com o friozinho na barriga, prestes a entrar no palco, todos nós recebemos esse carinho em forma de letra, melodia e vozes.

ADQUIRAM O CD E DIVULGUEM! 
Contato Grupo Evangelizar é amar:

E-Mail: cdevangelizareamar@gmail.com
Facebook: www.facebook.com/cdevangelizareamar
Myspace: www.myspace.com/evangelizareamar

O Clipe abaixo é com a música JUVENTUDE e as fotos com alunos das minhas oficinas de teatro, das turmas de 1993 a 2012


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

HERÓIS (DF) PORTO ALEGRE EM CENA


Para  mim um herói, ao contrário dos da mitologia Grega que inspiraram os dos desenhos animados, quadrinhos e filmes, é bem próximo de nós.
Heróis são os bombeiros, os enfermeiros, os policiais, os médicos e todos aqueles anônimos cuja única força "sobre-humana" é o amor e a dedicação a vida.
Chico Xavier é um herói que sempre referiu-se a si como uma formiguinha e das mais pequenas. E dessa pequena força, veio seus GRANDES FEITOS.
Heróis é um espetáculo de teatro cujo o poder felizmente não é a invisibilidade, pois a curadoria do POA EM CENA os trouxe até nós.
Enfrentaram vários "oponentes" mais famosos, mais festejados, mais badalados, para nos mostrar que a arte do teatro está no simples, no exercício da encenação, da interpretação, do bom texto e não somente nas pirotecnias que cada vez invade mais o tablado.
HERÓIS- O CAMINHO DO VENTO - É um belo exemplo de um bom teatro que aposta na simplicidade para contar a história de três velhos veteranos de guerra que se encontram todos os dias durante uma hora no terraço do asilo para contarem suas histórias e no final, planejarem algo ousado para aqueles homens, acomodados, ranzinzas e debilitados.
O texto é ótimo, do francês Gerald Sibleyras (Primeira montagem no Brasil) que perfeitamente conduzido pelo trio de atores nos faz rir, refletir e comover.
Fazia tempo que eu não ria tanto com um texto que não é uma comédia (Eu pelo menos não vi assim), e os atores que interpretam os velhinhos: Renê, Gustavo e Fernando o fazem magistralmente completando-se apesar das diferenças e criando uma grande empatia com o público.
A Direção de Guilherme Reis fica como o juiz de uma partida boa de futebol, conduz o espetáculo sem parar e sem querer aparecer, deixando o campo livre para quem quer jogar e joga.
A Cenografia é composta por três cadeiras e um cachorro (De Pedra?) Que torna-se o quarto elemento em alguns momentos. Temos também ao fundo um painel onde são penduradas as lembranças dos ex-combatentes e de onde eles buscam elementos cênicos e guardam/pegam figurinos.
A trilha resume-se na maioria das vezes a barulho de vento e som de caixinha de música com diversos temas, incluindo, o hino Francês e nos momentos de transição de cena.
É o simples sendo muito mais que simples. São heróis discretos salvando vidas e fazendo bem a sua função, diferentemente dos astros que no mesmo dia desfilavam com seus figurinos de cores berrantes, aparecendo em outdoors e fazendo estardalhaço na sua chegada nos palcos do Em Cena.
A arte do ator e um bom texto ainda é o que mais me conquista e assim sempre vai ser...

HERÓIS - O CAMINHO DO VENTO (DF)
Texto: Gerald Sibleyras - Tradução: Carmem Moretzsohn
Elenco: João Antônio/Willian Ferreira/João Santanna

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

E A VIDA CONTINUA...

Quando assisto alguma atividade artística realizada por crianças, jovens e adultos do movimento espírita, vou desarmado de qualquer senso crítico e análise técnica do que vai ser apresentado.
Ali na maioria das vezes, trata-se de um conjunto de artistas amadores e então, a mensagem doutrinária, a união das pessoas em prol de um evento cultural é o mais importante, vale a pena e sempre vou incentivar a arte  nas casas espíritas e fora delas como evangelização e divulgação.
Não raro sou surpreendido por peças de teatro ou esquetes bem simples e bem feitas, com roteiros legais e com alguns talentos que se destacam.
A mesma boa vontade não pude ter com o filme A VIDA CONTINUA. Puxa vida! Tinham uma base fantástica que é o livro, profissionais de alto gabarito a disposição e o que nos apresentam em termos artísticos é um filme fraco e em alguns momentos, constrangedor de tão mal feito.
Mais do que nunca há de se apegar na idéia de que o filme serve como um apoio a fim de esclarecer muitas coisas, que a mensagem vai chegar a muita gente por intermédio do cinema e futuros DVDS. E fica nisso! ( O que não deixa de ser importante, e muito!).
Analisado como arte...O filme me incomodou e muito.
Ana Rosa, Lima Duarte e Rui Resende dão o recado nos papéis que lhe foram destinados, a jovem Amanda que co-protagoniza o filme com a personagem Eveline tem momentos bons, mas o que se vê em cena em pouco mais de uma hora é um desfile de equívocos de interpretações, ritmo, roteiro, direção, edição, som e fotografia.
Esperava muito mais, muito mais mesmo de uma equipe profissional e que tinha uma responsabilidade tão grande ao adaptar essa obra.

Vou indicar? Sim! Pois se a função dele era divulgar, ilustrar e esclarecer um pouco mais acerca da nossa doutrina Espírita, o fez.
Mas para mim, artisticamente foi o filme mais fraco dos últimos tempos.
Mas...Estamos aqui todos para evoluir e aprender não é mesmo? A vida continua...


sexta-feira, 14 de setembro de 2012

A AMANTE DA MINHA ESPOSA


SOMENTE UM FINAL DE SEMANA, VAMOS SORRIR E CANTAR? KKKK
Uma comédia onde quem trai por último, trai melhor!!

De Sexta a Domingo as 20hs no Teatro Carlos Carvalho na Casa de Cultura Mário Quintana.
Preços promocionais:
Sexta e Domingo:
R$ 10,00 - Individual/ R$ 15,00- Casal
Sábado
R$ 15,00- Individual/R$ 20,00- Casal

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

2ª Mostra de Teatro Espírita...Como foi!

Meia hora antes de cada peça o público entrava...

 ...E já ocupava boa parte dos lugares disponíveis...

 ...São a essas pessoas que devemos todo nosso carinho, respeito e atenção...

 ...Ao final, os aplausos são para todos...

...Eu na atividade que amo e que me faz ser feliz nesse mundico....


De 20 a 22 de julho, ocorreu no Teatro da AMRIGS em Porto Alegre, a 2ª Mostra de Teatro espírita, que reuniu cinco dos nossos espetáculos.
Foram seis apresentações, com a média de 298 pessoas por espetáculo, totalizando 1.791 pessoas presentes no evento.
Sessenta artistas, entre técnicos, alunos, produtores, estiveram desde Sexta-Feira  das 14hs até Domingo as 22hs, trabalhando incansavelmente para que tudo ocorresse da melhor forma possível.
A abertura da mostra (com todos os 700 ingressos vendidos) foi com a adaptação do livro PAULO E ESTEVÃO, de Emmanuel, psicografado pelo médium Chico Xavier. Uma noite mágica que foi o ponto de partida para o que ainda haveria de vir.
No sábado, foram três espetáculos com no máximo uma hora de intervalo entre eles, onde tudo novamente ocorreu muito bem com a peça infantil: A MENINA QUE NÃO SABIA REZAR, com a vespertina UMA VOVÓ NO ALÉM e encerrando com o maior público do dia, CAMINHOS QUE CRUZEI, AMIGOS QUE ENCONTREI.
No Domingo, estávamos já melhor adaptados ao espaço, aos curtos intervalos e finalizamos com o crescimento artístico da peça infantil e para encerrar com chave de ouro, ENTREVISTA COM ESPÍRITOS.
Com a ótima estrutura da AMRIGS, com nossa produção, com nossos artistas, com nossos apoiadores conseguimos fazer um evento histórico pra nossa Cia, para o público e para a arte espírita do Rio Grande do Sul.
Agora no decorrer do ano e nos meses que seguem, as peças seguirão suas "carreiras solo" para em 2013, de 05 a 07 de JULHO. No mesmo bat Teatro, ocorrer a 3ª MOSTRA DE TEATRO ESPÍRITA.

Saiba mais sobre a nossa Cia Hariboll no site:
www.hariboll.yolasite.com

Facebook:
www.facebook.com/ciaharibolldeteatro

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Viúvas de homens vivos!


Seu amado não jaz em um caixão, tampouco suas cinzas estão espalhadas em um jardim.
Ele está vivo, bem vivo e isso lhes causa uma dor sem fim.
Elas foram abandonadas no altar que existe após o altar
Elas ainda estão vestidas de noiva, dançando no baile da vida, onde nunca mais foram as mesmas as músicas, a beleza, o ritmo e a alegria.
Elas sofrem por aqueles que as fizeram sofrer, querem esquentar no colo, aqueles que as colocou pra correr, elas querem de volta o olhar e o sorriso que um dia puderam ter.
Elas vão embora, por que a dor foi grande, mas de uma forma ficam sem querer.
Eles vão embora, Elas ficam de luto.
Eles tem razão, ou não, mas elas ficam de luto.
Elas fingem que está tudo bem copiando imagens e frases feitas de facebook
tiram fotos bem lindas e faceiras segurando um copo de cerveja com as amigas
Mas de luto, ainda.
Elas magoaram, e se deram conta da magia que se perdeu
Elas foram magoadas, não entendem, mas querem de volta tudo que ele prometeu.
Vivem sem dar o passo seguinte
Dependência financeira? Psicológica? Egoísmo? Falta de amor próprio?
Amor pleno e verdadeiro?
Não sei...
Mas elas sabem o que querem e que agora não tem.
Viúvas de homens vivos, que estão lá, vivendo sua vida, mal ou zen.
Aparecem nas redes sociais belas e positivas
para sumir quando tudo está bem
Perdoam setenta vezes, sete vezes
só para que o trilho continue conduzindo o trem.
Elas são traídas, são abandonadas
Mas traem e abandonam também.
Mas o vestido é o mesmo
o rosto na mente é o mesmo
o aperto no coração que vem.
Elas não mais vivem
não tem espaço para mais ninguém
ou se tem, é limitado
com a duração que lhes convém.
Elas seguem sua jornada resignadas
elas dedicam seu tempo a joguinhos e chantagens, que nada lhes traz de bem.
Elas vivem esperando, tristes ou não
Elas voltam faceiras ao mesmo porto
a aquele que lhe faz tocar o corpo e o coração.
E alguém aqui tem explicação?
As vezes elas me irritam, eles também
Não cabe julgar, não cabe analisar
cabe torcer
que todas, da sua forma, da sua maneira
sejam felizes, do jeito que querem ser.
Manter o luto, a esperança
Ou se permitir, ainda nessa vida, viver...

sábado, 28 de julho de 2012

BATMAN! O CAVALEIRO DAS TREVAS RESSURGE!


Batman Begins foi o primeiro degrau da escada que levava nosso herói morcego as telas em uma visão realista que nunca alguém ousou, muito menos nos quadrinhos. Nosso herói fazia parte da ação, não era a ação propriamente dita e socos: Ploft! Plum! Soc! Ficaram na mente do saudosos na série televisiva dos anos 60 e nas versões góticas e coloridas dos anos 80 e 90.
Com excessão do ótimo Batman, o retorno de Tim Burton, nunca Batman e seus vilões haviam sido repres entados com tanta realidade, estudo e pesquisa.
Se os amantes do herói, ou de filmes de super-heróis estranharam um pouco Batman Begins, imagino como ficaram com o estupendo Batman- O cavaleiro das trevas, onde a força do herói era o conjunto de seus aliados para derrotar um inimigo em comum, a corrupção, e também é claro, o ótimo coringa.
Agora com Batman, o cavaleiro das trevas ressurge, a parada ficou ainda mais indigesta para aqueles que queriam um filme no estilo Vingadores.
Batman ressurge é um filme cruel, triste, amargurado, muitas vezes complicado, mas na visão desse batmaníaco aqui, novamente um golaço de Christopher Nolan e equipe.
Novamente vemos um filme policial de ação de primeira, contando com o roteiro dos irmãos Nolan que sabe o que fazem e que tem como cereja do bolo o homem morcego.
Batman está mais humano que nunca nesse filme: Fraco, triste, cansado, fora de forma, medroso e que no momento certo, com o impulso certo, resgata toda a força, coragem e energia necessária para seu sacrifício final. Assim como aquela mãe magrinha que consegue salvar um filho de um cão furioso, assim como um bombeiro que consegue ir em um local praticamente impossível de sair vivo, para salvar uma vítima.
Bane é o vilão da vez. Nada engraçadinho como o Coringa e extremamente forte, frio e cruel, pertence a liga das sombras, que atazanou Batman no primeiro filme, e assim como ele, ressurgem para completar o que o vilão interpretado por Liam Nelson não conseguiu: Fazer Gothan sumir do mapa.
Ainda temos o retorno dos ótimos Comissário Gordon, Alfred e não menos interessantes: Selina Kyle (mulher gato) e o jovem policial que no final do filme revela que seu nome é...(Não vou estragar a surpresa).
O filme não me pareceu a primeira vista tão facilmente "digerível", Nolan forçou a cuca de todos, e estamos mal acostumados a ver isso em filme de heróis, muitas pessoas saíram antes do filme terminar (Quase 3 horas), e quando terminou, o público nem se manifestava, estavam todos recuperando-se, saindo do mundo de um filme muito forte e elaborado, para ressurgir em suas vidas e tomar o rumo de casa.
Em termos artísticos devo dizer que foi um primor, assim como o segundo, mas ao contrário desse, eu saí do cinema intrigado, encucado...E gosto disso!
Vou ver de novo,
Vale a pena.

terça-feira, 17 de julho de 2012

V EMUSE - Em Torres


"SOU UM OFERECIDO! UM INTROMETIDO MESMO!"
Foi o que eu pensei segundos depois de enviar e-mail para Gilnei Teixeira, um dos coordenadores desse encontro anual de arte espírita na Cidade de Torres -RS.
Fiquei sabendo do evento por intermédio do blog do DIJ-FERGS e senti na mesma hora uma vontade imensa de estar presente, ainda mais que no dia anterior eu estaria em Capão da Canoa apresentando a peça Caminhos que cruzei.
Para a minha alegria, tive o retorno do citado amigo e fui hospedado pelos queridos Fernando e Ivone.
No dia (Um belo e gelado domingo de inverno), o que vi foi um evento extremamente descontraído, informal, aberto a improvisação, mesmo estando já com sua programação estabelecida e organizada.
Participaram jovens, evangelizadores e trabalhadores de Osório, Tramandaí, Capão da Canoa, Sto Antônio da Patrulha e da Cidade Anfitriã, que na Sociedade Bezerra de Menezes serviu um carinhoso e bem feito almoço para os participantes.
No palco nos momentos das apresentações e fora dele, tudo o que eu sentia ali era que eu estava em uma enorme família, unidos por um ideal, unidos por uma força do bem, onde o coração cantou mais alto sempre.
Músicas do movimento espírita (Algumas conhecia), outras de conjuntos e intérpretes conhecidos nacionalmente, cujas músicas tratavam de temas como a vida, boas vibrações como: Renato Russo, Marcelo Jeneci, entre outros, até teve tempo para uma versão da divertida "Para Nooossa Alegria", com direito a riffs de guitarra (a gurizada adora!).
Espaço também para belas composições próprias, como do Sr. Fernando e do pessoal de Santo Antônio da Patrulha.
Foi um belo exemplo de união, todos pegando junto, todos se ajudando, na hora de plugar os instrumentos, afastar, colaborar com o colega que estava se apresentando, além do bom chimarrão e guloseimas que circulavam por lá, alimentando e aquecendo também nosso corpo físico.
Houve uma esquete de teatro, que os jovens de lá ficaram nervosos por causa da minha presença, e eu disse pra eles que aconteceu o mesmo comigo quando alguns deles foram me assistir no dia anterior, ou seja, estávamos empatados.
Todos se entregaram de coração a esquete e isso que é o essencial! Técnica a gente vai desenvolvendo aos poucos com ensaios, pesquisa, estudos. Ter coração, ter a vibração e a coragem necessária para desenvolver a arte espírita é o maior combustível, e nisso posso afirmar pelo que vi, os "tanques" estão cheios. 
Foi um domingo que eu ganhei muito, saí de lá abastecido de arte espírita e do carinho dos que me receberam, desse amigos que encontrei, nos caminhos que cruzei.
Um grande abraço em todos!
Haribol!!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Ensaios Paulo e Estevão 2012

Meus alunos do Grupo Teatral Perseverança e os atores da Cia Hariboll estão juntos nesse projeto, de levar o livro de Emmanuel por intermédio do médium Chico Xavier aos palcos.
Roteiro escrito por mim em 1995, que aprovado pela FEB - Federação Espírita Brasileira, desde então, ao menos uma vez por ano ganha a devida ação cênica.
Abaixo um pequeno vídeo de um dos dias de ensaio. Os ensaios são realizados na Soc. Espírita Caminho da Luz, que apóia nosso projeto de teatro desde 2002.
Paulo e Estevão, abre a 2ª Mostra de Teatro Espírita em 20/07/12 as 21hs
Maiores informações sobre a Mostra: www.hariboll.yolasite.com


domingo, 8 de julho de 2012

Solteiro! Mas todos os meus relacionamentos deram certo!


Estou solteiro, mas TODOS os meus relacionamentos anteriores deram certo!
Estou louco? Pirando? NÃO! É apenas a visão deste que vos escreve, para situação:
Noivados, casamentos, ficadas, namoros, todos deram certo durante o tempo que tiveram que dar, todos tiveram a importância que tiveram que ter, todos tiveram a duração que tinham para durar, e se alguns foram abreviados "antes da hora", me digam...Você sabe que hora é essa? Se rompi, se romperam comigo, é pq todos somos seres humanos toscos, a nos ferir e a nos acariciar, sem ter o equilíbrio perfeito nesse tema que é amar.
Estou bem, não tenho nenhum problema, tampouco algum "rabo preso", mas assim como eu, existem vários, que são vistos como "pessoas com algum problema" pois estão sem par. Quem de nós já não viu alguém interessante e pensou: "Hum, tão bonita, tão inteligente, tão legal e sozinha? Tem problema, tem encrenca ali".
Minha consciência é meu guia, depois de um tempo nunca mais permiti me sacrificar ou sacrificar alguém pelo "ideal" de um relacionamento que "deu certo", desses que vão até o final da existência física.
Até uma pequena transa, é um relacionamento que deu certo, pois ali, os dois estavam a fim, estavam com vontade, tesão, com entrega.
Relacionamento não é sinônimo de tempo, e sim ...Relação!
Lógico que ninguém "compra" um relacionamento "sério" pensando em terminar, claro que a maioria quer o "pra sempre", mas que esse "pra sempre" seja bom, mesmo com todos os problemas que vem junto, mas que fique o essencial: A vontade de estar juntos, o resto tudo, se dá um jeito.
Feliz com as histórias que eu vivi, aprendi com as mágoas que causei e que sofri, enfim, com tudo que efetivamente eu senti, que me trouxeram filhos amados e amigos que nunca perdi.
Hoje aqui, amanhã não se sabe, cada um tem o seu universo e suas verdades, eu não sei me relacionar sem sentir, sem estar com vontades, ficar anos sustentando um "relacionamento sério" somente com o pilar da amizade.
Um dia vamos ter a idéia do tal "amor verdadeiro", e acho que um dos primeiros passos é respeitar, mesmo que não concorde, vontades opostas não seguram relação...
Éssa é a minha verdade, estando errada ou não.





quinta-feira, 5 de julho de 2012

Artimanhas que fazem bem!


Significado de artimanha no dicionário web. s. f. Astúcia, ardil; fraude, dolo.f. Artifício. Ardil; astúcia.


Tudo isso nos irrita, ainda mais nos últimos acontecimentos de Brasília e em nossas vidas pessoais quando isso vem de amigos, chefes, colegas, familiares e etc.
Felizmente quando essa palavra vem acompanhada de mais uma deliciosa e bem elaborada peça da CIA DE TEATRO AO QUADRADO, seu significado muda...e muito.
O espetáculo ARTIMANHAS DE SCAPINO que estreou no último final de semana no Teatro São Pedro em Porto Alegre, faz parte da comemoração dos dez anos dessa Cia de Teatro que tem nos proporcionado bons momentos da arte cênica, então, nesse aniversário, somos presenteados novamente com uma montagem teatral excelente.
Marcelo Adams cujo o trabalho como ator eu conheço e admiro muito, conseguiu ainda assim, me surpreender, tendo uma das atuações mais completas que já vi um ator fazer em cena, utilizando e muito bem tudo o que o seu personagem lhe oferecia, o Scapino do título.
E vem muito bem acompanhado: No elenco: O ótimo Marcelo Mertins (Que eu já havia visto em A BILHA QUEBRADA, de Clóvis Massa), Meu querido amigo Carlos Paixão (Que bom ver seu talento novamente em cena!), Paulo Vicente (fantástico!), os jovens já experientes e competentes:   Gustavo Susin e Vinícius Meneguzzi e as meninas Luisa Herter e Claudia Lewis trazendo seu talento e suavidade feminina para a cena.
Tudo ali é de encher os olhos! Figurinos, a cenografia, a coreografia, maquiagem, a trilha sonora e a preparação vocal, (Marcos Chaves e Marcelo Adams).
Ah! Sem contar o lindo programa, que parece um cardápio contendo um delicioso banquete cultural
Na direção disso tudo: Margarida Leoni Peixoto, com o grande mérito de "linkar" todas essas energias para um fim em comum: Um ótimo espetáculo
Parabéns a todos, recomendo e MUITO!


PS. Na saída do Teatro, dois casais conversavam: "Fantástico! Eles não devem ser aqui do Sul" Eu, metido e com um sentimento até de posse, disse: Eles são nossos! São daqui."


TEMPORADA:
Volta a cartaz de 6 a 29 de julho, de sextas a domingos às 20 horas, no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736, Centro Histórico de Porto Alegre)


SINOPSE:
Nesta trama criada por Moliére (1622-1673) ,  Scapino e Silvestre, os dois criados a quem foram confiados os jovens Leandro e Otávio, fazem de tudo para juntar seus amos às apaixonadas Zerbineta e Jacinta, sempre contra a vontade dos dois velhos pais, Gerôncio e Argante.

Maiores informações: www.marceloadams.blogspot.com

Texto: Molière
Tradução: Carlos Drummond de Andrade
Direção: Margarida Leoni Peixoto
Elenco: Marcelo AdamsClaudia Lewis, Gustavo Susin, Luísa Herter,Marcelo Mertins e Vinícius Meneguzzi    Atores convidados: Carlos Paixão e Paulo Vicente
Cenografia: Élcio Rossini
Figurinos: Cláudio Benevenga
Trilha sonora e preparação vocal: Marcos Chaves
Letras das canções: Marcelo Adams
Coreografias e preparação corporal: Larissa Sanguiné
Iluminação: Fernando Ochôa
Fotos: Júlio Appel
Programação visual: Pingo Alabarce
Maquiagem: Margarida Leoni Peixoto
Costureiras: Naray Pereira e Eronita Schaeffer
Divulgação: Bebê Baumgarten
Bilheteria: Renata Savaris
Produção e realização: Cia. de Teatro ao Quadrado

Patrocínio: Funarte- Prêmio Myriam Muniz de Teatro 2011