segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Viúvas de homens vivos!


Seu amado não jaz em um caixão, tampouco suas cinzas estão espalhadas em um jardim.
Ele está vivo, bem vivo e isso lhes causa uma dor sem fim.
Elas foram abandonadas no altar que existe após o altar
Elas ainda estão vestidas de noiva, dançando no baile da vida, onde nunca mais foram as mesmas as músicas, a beleza, o ritmo e a alegria.
Elas sofrem por aqueles que as fizeram sofrer, querem esquentar no colo, aqueles que as colocou pra correr, elas querem de volta o olhar e o sorriso que um dia puderam ter.
Elas vão embora, por que a dor foi grande, mas de uma forma ficam sem querer.
Eles vão embora, Elas ficam de luto.
Eles tem razão, ou não, mas elas ficam de luto.
Elas fingem que está tudo bem copiando imagens e frases feitas de facebook
tiram fotos bem lindas e faceiras segurando um copo de cerveja com as amigas
Mas de luto, ainda.
Elas magoaram, e se deram conta da magia que se perdeu
Elas foram magoadas, não entendem, mas querem de volta tudo que ele prometeu.
Vivem sem dar o passo seguinte
Dependência financeira? Psicológica? Egoísmo? Falta de amor próprio?
Amor pleno e verdadeiro?
Não sei...
Mas elas sabem o que querem e que agora não tem.
Viúvas de homens vivos, que estão lá, vivendo sua vida, mal ou zen.
Aparecem nas redes sociais belas e positivas
para sumir quando tudo está bem
Perdoam setenta vezes, sete vezes
só para que o trilho continue conduzindo o trem.
Elas são traídas, são abandonadas
Mas traem e abandonam também.
Mas o vestido é o mesmo
o rosto na mente é o mesmo
o aperto no coração que vem.
Elas não mais vivem
não tem espaço para mais ninguém
ou se tem, é limitado
com a duração que lhes convém.
Elas seguem sua jornada resignadas
elas dedicam seu tempo a joguinhos e chantagens, que nada lhes traz de bem.
Elas vivem esperando, tristes ou não
Elas voltam faceiras ao mesmo porto
a aquele que lhe faz tocar o corpo e o coração.
E alguém aqui tem explicação?
As vezes elas me irritam, eles também
Não cabe julgar, não cabe analisar
cabe torcer
que todas, da sua forma, da sua maneira
sejam felizes, do jeito que querem ser.
Manter o luto, a esperança
Ou se permitir, ainda nessa vida, viver...

2 comentários: