quarta-feira, 3 de abril de 2013

TEATRANDO: Entre nós/Natalício Cavalo

Felizmente o tempo não pára e nossos artistas de Porto Alegre muito menos. Com ou sem lei de incentivo , eles nos brindam com novas boas histórias, sem perder a identidade que os caracterizam.
Fiquem atentos amigos leitores nas respectivas temporadas.


ENTRE NÓS - Paulo Guerra e a Cia Halarde mergulham novamente no universo das relações homoafetivas neste exercício cênico protagonizado por dois jovens atores que se propõem a encenar a história de Rodrigo e Fábio. O primeiro "descobrindo" sua sexualidade, o segundo, ciente dela, enfrentando os preconceitos. Contando com a cumplicidade do público, os atores Bruno Abiz e Samuel Reginatto se desdobram em personagens/narradores/eles mesmos durante uma hora, utilizando bem a preparação corporal/dramática e os interessantes elementos cênicos que aparecem/desaparecem e transformam-se de acordo com o que a ação seguinte propõe. Mais leve e não menos interessante que a anterior Dois de Paus, o exercício proporciona que o público assista algo bem diferente do "convencional", que participe, que improvise, que decida o final, ou na verdade nem decida, pois como a identificação e simpatia pelos protagonistas é imediata, só oficialize o que todos querem que aconteça. Mais um bom exemplo de atuação, direção, produção, característica desses 23 anos desta importante Cia teatral da nossa Capital..

Sinopse segundo a Cia:
Volta a cartaz a comédia romântica contemporânea, que conta a história de dois jovens atores em processo de criação para um romance entre os personagens Rodrigo e Fabio. Eles enfrentam uma série de situações conflitantes e engraçadas até decidirem o destino dos personagens perante as famílias, os amigos e a Escola. No final isso os leva a solicitar ao público que decida sobre o desfecho da peça: se o casal protagonista deve ficar juntos ou não.

Ficha técnica:
Texto de João Sanches , Direção de Paulo Guerra com Bruno Abiz e Samuel Reginatto. Trilha ao vivo com o DJ Ledos 

NATALÍCIO CAVALO - Atores "explorados" ao máximo em suas potencialidades dramáticas. (Canto/dança/interpretação) Um elenco coeso, completo, dando conta do recado em mais um belo trabalho da Cia Rústica. Tudo o que é nos colocado a disposição na proposta da encenação, enche os olhos, agrada, toca, envolve.
Uma variedade de sensações envolve o público que não apenas assiste, mas é convidado efetivamente a sentir, pensar, vibrar junto a história e aos atores que se dividem em múltiplos papéis com uma eficiência impressionante.
A música, a cenografia, a iluminação, os figurinos, a projeção de vídeos, tudo ali casadinho em comunhão de bens em mais um amor correspondido entre o público e a Cia Rústica.

Sinopse segundo a própria Cia:
Natalicio Cavalo, segunda montagem do projeto Trilogia Festiva (Clube do Fracasso 2010), lança um olhar festivo à experiência da mortalidade, entendendo que vida e morte são parte de um só movimento. Natalicio vive suas vidas e várias mortes em aventuras poéticas pelos caminhos do sul, um anti-herói que vaga entre a cidade e o pampa durante o século XX, celebrando a vida e encontrando a morte em mais de uma esquina. Transitando entre os anos 40 e o presente, a montagem percorre o universo do pampa gaúcho e também da paisagem urbana e boêmia de Porto Alegre. 
Ficha técnica:
Direção e composição dramatúrgica Patrícia Fagundes. Elenco: Heinz Limaverde, Lisandro Bellotto, Marina Mendo, Marcelo Mertins, Priscilla Colombi, Rossendo Rodrigues. Assistência de direção: Ander Belotto e Maurício Casiraghi. Trilha Sonora: Arthur de Faria. Preparação musical: Simone Rasslan. Figurinos: Daniel Lion. Cenografia: Rodrigo Shalako. Iluminação: Lucca Simmas.Coreografias: Clóvis Asgadan. Captação e edição de vídeos: Maurício Casiraghi. Artes Gráficas: Paloma Hernández. Direção de Produção: Patrícia Fagundes. Produção Executiva: Vinícius Mello. Assessoria de imprensa: Léo Santana. Realização Cia Rústica de Teatro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário