terça-feira, 6 de agosto de 2013

PIPOCAS DE PAPIRO


PIPOCAS
Doces (ou salgadas) sempre são bem vindas e combinam com entretenimento, momentos bons de lazer com a família e amigos. Quando feitas com carinho e cuidado, tornam-se mais saborosas ainda.
Gostoso como um bom pacote de pipocas é essa peça teatral.
Pelo que eu sei, a Cia Déjá-vú "namora" o texto há no mínimo dois anos e já vinha tentando materializar esse novo espetáculo que estreou na última sexta-feira 1º de agosto.
PIPOCAS DE PAPIRO é o irmão caçula do espetáculo jovem ADOLESCER.
Como é filho dos mesmos pais, tem muitas semelhanças com seu irmão mais velho, recebe influência dos primos e do meio que foi criado, porém, como qualquer ser independente, tem suas próprias características que permitem que ele seja reconhecido e conte sua própria história sem estar á sombra de ninguém.
A peça é entretenimento puro que conta com um belo visual no seu todo (Cenografia, figurinos, maquiagens,adereços, luz) e a trilha sonora original e seus efeitos que conduzem muito bem a história em seus momentos de coreografia (ótimas), de humor e suspense.
O elenco na maioria é composto por jovens atores do espetáculo Adolescer, que emprestam muito bem seus corpos e energias ao que os personagens pedem. Temos a volta da Diretora Vanja divertindo-se ao lado dos "pupilos", de Antônio Rabadan e do sempre impagável João Carlos Castanha que "rouba" a cena, cada vez que aparece com o seu afetadíssimo Faraó Zut - Zut.
Assim como o seu "irmão" mais velho, PIPOCAS "abre os trabalhos" com uma coreografia, obtendo um ótimo resultado contendo música autoral interpretada pelos artistas, até ser entregue á trama propriamente dita.
Elementos da atualidade (Internet, celulares, gírias) são transportadas ao passado no texto de Ricardo Mack Filgueiras, ( Escrita em 1975, encenada pela primeira vez em 1976) atualizado pela diretora, resultando em uma hora de bom entretenimento.
Não é um "ADOLESCER NO EGITO" é um espetáculo com suas próprias características que vai seguir o seu caminho, proporcionando ao público jovem e em geral, esse contato com o mundo fantástico dos faraós, das pirâmides, das múmias, dos papiros, das balas de lótus em uma peça com cheirinho e gosto de pipoca...Das boas!

PS. No hall de entrada do teatro há uma tenda com vários produtos para o público levar como lembrança do espetáculo, que vão desde balas de lótus, incensos, até papiros.

FICHA TÉCNICA
Texto Original: Ricardo Mack Filgueiras
Adaptação e direção: Vanja Ca Michel
Elenco: Ana Paula Schneider, Ane Troian, Anderson Vieira, Emílio Farias, Joana Troian, Júlia Brunelli, Julia Bach, Juliana Preto, Julia Troian e Rafael Ewald. Participação especial de Antonio Rabadan, João Carlos Castanha e Vanja Ca Michel
Direção Musical e Trilha Sonora Original: Ricardo Severo
Direção de Arte, Cenografia, Figurinos, Adereços: Antonio Rabadan
Cenotécnico: Valdir Rublesque
Desenho de luz: Moa Junior e José Antônio Souza Carvalho (Zé)
Coreografias: Flávio Cruz
Preparação vocal: Pedro Spohr
Vocais: Elenco e participação especial de Pedro Spohr e Ricardo Severo
Locução: Luiz Carlos Sadówski
Produção: Vanja Ca Michel e Moa Junior
Realização: Cia Déjà-vu – Porto Alegre





Nenhum comentário:

Postar um comentário