sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

MISSÃO IMPOSSÍVEL 4

Impossível não se divertir!
Assim como a série de sucesso da tv, é feito para a gente relaxar , gostar de ver heróis, pensarem, agirem de um a forma tão absurda, mas extremamente cativante.
A série de cinema que Tom Cruise bancou desde o primeiro é assim, não tem a pretensão de se "superar" a cada episódio e sim trazer uma nova aventura com tons de matinés dos anos áureos do cinema e dos seriados que hoje conquistam cada vez mais os telespectadores.
Todos os filmes de MI tem um diferencial: Seus Diretores de características tão diferentes: Scott, Woo, J.J e agora o surpreendente BRAD BIRD (Sim! O autor e diretor de dois sucessos da Pixar: Os incríveis e Ratatouile).
Ps. O Gigante de Ferro também é muito bom, mas infelizmente quase desconhecido por aqui

Cruise também é o produtor e soube dar o tom para cada episódio, e mesmo sem ser fã, eu achei legal os que assisti.
Nesse o mais interessante é o tom cômico que o Diretor trouxe á franquia, tiradas ótimas, que fazem a diferença em um filme que você sabe que terá cenas absurdas de ação, situações impossíveis de acontecer na realidade, mas que a criatividade e a arte, tornam possíveis.
A trama não traz muitas novidades, mas dentro dessas coisas déjà-vu, tem outras surpresinhas que são mostradas aos poucos e principalmente no fim do filme.
O elenco é muito legal , empatia 200% e Paula Patton (ai, ai...) Me deu vontade até de assistir os outros três de novo!
Hoje em dia não assisto seriados, nenhum, mas me deu saudades dos que eu adorava assistir nos anos 70/80 e quem sabe eu me renda aos de hoje que são muitos e com fãs espalhados pelo  mundo.
Alguém aí tem uma dica de seriado atual pra me indicar?


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O SOL - JOTA QUEST

Não sou fã dos caras, mas reconheço que é a Banda de Rock mais alto astral que existe no Brasil.
Não raro suas músicas falam de coisas elevadas, dá vontade de sair pulando, e mesmo as sofridas de amor tem seu ar de esperança.
Essa música, eu gosto muito e acho que serve para muitas pessoas, respirar fundo, levantar a poeira e dar a volta por cima.
Essa "dor" que ele fala, também pode ser "alguém" que te magoou, que te atrasou, que não te quer mais e todos os obstáculos que tendem a prender o ser humano na tristeza, na amargura, no prejuízo.
Que o sol seja a prece, o caminho, o recomeço, o sucesso!
Bom fim de semana a todos!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

HAMLET SINCRÉTICO

Céus! Como demorei pra assistir esse espetáculo! Felizmente nessa vida sempre temos 2ªs, 3ªs, 4ª chances.
Domingo na Sala Alvaro Moreira presenciei algo muito mais superior do que as palavras de quem assistiu havia me dito.
Um dos melhores espetáculos que já vi, orgulhoso como artista por ver essa obra, por ver gente conhecida ali na "lida" e executando com energia, trabalho e talento essa versão de Hamlet.
Lembrei dos poucos momentos que convivi com a Diretora Patricia Fagundes e outros colegas que estudávamos a obra de Shakespeare e suas infinitas versões e possibilidades.
Caraca! Tudo ali muito, muito bom!
Felizmente não foi a última vez, retornarão em 2012 na comemoração dos 10 anos do Grupo Caixa Preta.
Parabéns a todos,  curtas palavras nesse post, muitas lembranças boas e aplausos para vocês!

sábado, 10 de dezembro de 2011

CAFÉ PRETTO Nº 8

Estamos encerrando o ano com 10 programas CAFÉ PRETTO de + ou - 15 minutos que estamos fazendo como projeto piloto para um futuro programa de tv/web cultural.
Sempre procurando divulgar nossos artistas.
Aqui vc assiste o n º 8 com o espetáculo SÓ LOVE e no www.cafepretto.blogspot.com os outros 7!
video

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Um café Pretto ai?


www.cafepretto.blogspot.com
ou no Youtube, só digitar CAFE PRETTO

Neste blog vc assiste na íntegra 6 matérias com artistas nossos, nessa ideia minha e do colega Sérgio Teixeira de levar primeiramente pra internet e posteriormente para a tv um programa que divulgasse nossos artistas e a sua arte.
Estamos naquela fase complicada de captação de recursos, mas já estamos tendo o retorno e o apoio de alguns colaboradores, entre eles, é claro, os artistas que nos abriram as portas e serviram de protagonistas ao nosso projeto.
Agradecendo desde já a todos, estamos ainda com 3 programas em fase final de edição e vamos fechar o ano com 10 matérias.
Abraços! Assistam! Comentem! Divulguem!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

NOITE DE ANO NOVO


O filme é uma colcha de retalhos no mau e no bom sentido. As vezes supre as tuas necessidades, as vezes é curta demais e deixa teus pés destapados, as vezes o tecido é confortável, em outras partes áspero. Te conforta e te incomoda em uma mesma noite. As vezes tu olhas estendida na cama e acha linda, outras tu achas feia e vê as falhas na costura entre os tecidos ou a beleza da combinação delas.
Pra comer uma pipoquinha e passar quase duas horas de distração vale! Mas não espere mais do que clichês o tempo todo, mesmo torcendo que seja surpreendido por alguma ação/reação dos personagens diferente do que eles de cara, já te contaram.
O Diretor Garry Marshall do hipermega sucesso UMA LINDA MULHER é o maestro desse encontro de astros em um mesmo filme (timaço).
Mesmo com tanta gente boa ali, o filme não te conquista! É regular com momentos bons e clichês que as vezes te irritam.
Aqui e ali tem coisas no roteiro que até te empolgam, momentos bons de diálogos, personagens, situações, pra depois tudo descambar no mesmo.
Noite de Ano novo deve agradar os fãs dos contos de fadas românticos contemporâneos de Garry, mas pouco para quem queria um pouco mais do que pipoca e gargalhadas.

PS. Tem umas mensagenzinhas "água com açúcar" típicas de ano novo que me agradam (Quem não tem seu lado careta, atire o primeiro bib's)

E preparem-se para uma chuva de anúncios comerciais na tela!

sábado, 3 de dezembro de 2011

O BOM PULO DO GATO!!!


Personagens coadjuvantes muitas vezes "roubam" um filme, uma peça de teatro, novela, seriado, livro e etc. Não raro, esses personagens por diversos motivos acabam recebendo oportunidades para serem os protagonistas em algum outro momento. Não raro também, vermos fracassos nessas tentativas, até porque o personagem foi criado para ser coadjuvante, para dar aquele recado ali, fazer aquela "escada" ou o "alívio cômico" e deu!
O Gato de Botas, filme que tive o privilégio de assistir com meus filhos em pré-estréia graças ao Clube do Assinante ZH, é um exemplo de quando as coisas dão certo (Para minha alegria)!
O personagem título (Voz de Antônio Bandeiras) foi um dos elementos para que SHREK 2 fosse um dos melhores filmes que assisti na última década e infelizmente naufragou com eles nos fracos 3 e 4.
De bobos os estúdios não tem nada, sabem a empatia do bichano, o potencial dele, querem um caminhão de dinheiro e com um personagens desses na mão...Tinha que tocar ficha mesmo!
E a aventura solo do gato vale a pena, aquele humor dos dois primeiros filmes do Shrek, as características do personagem já mostradas, são exploradas e ampliadas em mais um daqueles filmes que pais e filhos assistem se divertindo juntos.
O 3D do filme é algo fantástico e a história mostra o gato em um plano junto com um ex- amigo de infância e uma gatinha para roubar a gansa dos ovos de ouro do castelo do gigante (João e o pé de feijão) e salvar a cidade.
Fiquei feliz que eles acertaram, o personagem e as crianças merecem uma história legal, um divertimento sadio e lúdico.
Para não dizer que tudo é 100% (Aliás nada na vida) como o filme se passa antes do gato conhecer Shrek, o final do filme não aponta que o gato no futuro, vá aceitar moedas para "matar um certo Ogro"


quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Filmes que não valem a pena gastar dinheiro no cinema 3


11.11.11 - Uma boa data, uma boa inspiração para um roteiro de catástrofes, terror, comédia, sei lá! Algo que traga uma boa história para alguns momentos de lazer.
O diretor é o mesmo de alguns filmes da série JOGOS MORTAIS (Assisti apenas dois e deeeu!!) por esse "cartão de visitas" estampado no pôster do filme ele não me atraiu, e se foi uma boa chamada para os fãs da série, eles tanto quanto eu devem ter saído decepcionados ao final.
Não que eu tivesse criado alguma expectativa, mas sabe aquele dia que vc não tem opção mesmo e está na pilha de ir ao cinema?Aliás naquele dia os 4 cinemas do Praia de Belas exibiam só filmes de terror/suspense (pesquisa de mercado?).
O filme é inspirado é claro na data, mas é uma seleção de clichês do início ao fim: Escritor de livros de sucesso depressivo auto-destrutivo que mora num quartinho imundo é chamado pelo irmão com quem havia cortado relações há anos por causa da iminente morte do pai.
Lá vai se inspirando...Escrevendo...E acontecimentos cujo número 11.11.11 está em todas as partes, ocorrem e ou são descobertos pelo personagem em flashbacks.
Na metade do filme eu já tinha desistido dele e fiquei atento somente a fotografia, na direção de arte, no clima (Que também não ajudava muito, nem apontava algo de diferente).
Aqueles sustos clichês de novo, aqueles diabinhos que parecem ter saído dos filmes de demônio dos anos 70/80 e para desespero dos fãs levados pelo diretor: Metade do filme e nenhuma morte! Nenhum corpo destroçado ou cabeça rolando!
Eu tentava desesperadamente me apegar a algo que estava rolando ali para que eu pudesse manter o foco, mas não deu, desisti parte 2!
Bom, o final até que é interessante, existe uma revelação ali, uma trama atrás da trama, que até justifica e te faz sair um pouco menos incomodado quando vc aprecia roteiros de cinema. (Eles ficam te explicando depois em pequenos inserts de frases e imagens que ocorreram no filme para quem não havia captado (dãa) ou aqueles que tinham largado de mão e nem estavam prestando atenção mais como eu.
Filme que só vale a pena, se vc tiver ao seu lado a companhia de alguém legal, um baldão de pipoca, bibs, coca e para dar boas risadas (?)